Lixo

O que sobra do consumismo

Tipos de lixo

O lixo pode ser classificado como:

Lixo Domiciliar – gerado pelas atividades residenciais, é composto por restos de alimentos, produtos deteriorados, jornais, revistas, embalagens em geral, papel higiênico, etc.

Lixo Comercial – gerado pelos diferentes segmentos do setor comercial e de serviços, como supermercados, estabelecimentos bancários, lojas, bares e restaurantes. O lixo destes estabelecimentos é composto principalmente por papeis, plásticos, restos de alimentos e embalagens.

Lixo Industrial – originado nas atividades dos diversos ramos da indústria. A composição desses resíduos varia conforme o tipo de indústria, podendo ser formado por cinzas, lodos, resíduos alcalinos ou ácidos, papeis, plásticos, metais, vidros, cerâmica, borracha, madeira, entre ouros.

Lixo dos Serviços de Saúde – produzidos por hospitais, clínicas, laboratórios, ambulatórios, consultórios odontológicos, farmácias, clínicas veterinárias e postos de saúde. Caracteriza-se por resto de alimentos, papéis, plásticos, seringas, agulhas, bisturis, ampolas, materiais radioativos, etc.


Lixo Público – originado nos serviços de limpeza pública, incluindo varrição de vias públicas, repartições públicas, limpeza de áreas de feiras livres, córregos, etc. É constituído principalmente por restos de vegetais, podas de árvores, embalagens, jornais, madeira, papéis e plásticos.

Lixo Especial – composto principalmente por resíduos da construção civil e das atividades industriais, podendo ser composto por restos de obras e demolições, pilhas, baterias, embalagens de agrotóxicos, embalagens de venenos, etc.

Lixo Radioativo – composto por rejeitos radioativos resultantes dos serviços de saúde e de atividades industriais. Esse tipo de lixo é caracterizado por conter urânio enriquecido.

Lixo Espacial – originado de restos provenientes de objetos lançados pelo homem no espaço. Composto principalmente por peças de foguetes e satélites artificiais.


Fonte: http://www.brasilescola.com/geografia/classificacao-lixo.htm

Curiosidades sobre o lixo


  • A região que mais produz lixo é a Nordeste. Enquanto um morador da região sul produz 900 gramas por dia, um da nordeste produz 1,3 quilos
  • O estado que menos produz lixo é Roraima, na região Norte, com uma média 870 gramas ao dia por morador. O que mais produz é São Paulo, no Sudeste, com cerca de 1,38 quilos.
  • Com 18 mil toneladas diárias, São Paulo é a capital que produz maior quantidade de lixo. A que produz maior quantidade por habitante é o Rio de Janeiro, com 1,86 quilos por dia.
  • Como tem pode aquisitivo mais alto do que os brasileiros, os norte-americanos produzem diariamente 2,3 quilos de lixo.
  • O equivalente a 168 estádios do Maracanã cheios, essa é a quantidade de lixo descartado inadequadamente – em áreas a céu aberto e lixões sem nenhum preparo para receber dejetos - no Brasil somente no ano de 2012.
  • Dos 64 milhões de toneladas de lixo produzido pelos brasileiros, 24 milhões foram enviados para locais inadequados.
  • Mais de 50% das cidades – 54%, para ser exato - depositam seus resíduos em locais considerados inadequados.
  • A quantidade total de lixo reciclável no Brasil é de 45%, mas a de lixo “realmente” reciclado não passa de 3%.
  • Mais de 80% do lixo eletrônico dos países ricos é enviado para países em desenvolvimento. Detalhe: mais de 70% desse lixo vai parar na China.
  • Os maiores produtores de lixo do mundo são, pela ordem: Estados Unidos, China, Brasil, Japão e Rússia. Sozinho, os Estados Unidos produzem 226 milhões de toneladas anuais.
  • O maior exportador mundial de lixo são os Estados Unidos. O lixo produzido pelos norte-americanos é exportador para 152 países.
  • A China é o maior comprador mundial. Sozinho, o país compra 10 mil toneladas de lixo.
  • O maior lixão do mundo é o Jardim Gramacho, na cidade fluminense de Duque de Caxias.

O desperdício de alimentos

Um pouco sobre lixo no consumismo

Atualmente, os principais materiais recicláveis são papel, plástico, metal e vidro.

No consumo, estes materiais são encontrados principalmente nas embalagens, como as sacolas, que geralmente são de plástico e papel.

Com o simples ato de separar o lixo na sua casa você está contribuindo com o meio ambiente além de estar colaborando para aumentar a renda de muitas famílias num país que, de acordo com dados do IBGE de 2006, 3,4 milhões vivem em situação de insegurança alimentar grave. Separar o lixo também é uma tarefa interessante no sentido que você para de fazer uma ação automática e começa a se colocar questões sobre o seu lixo. Perguntas como: é reciclável ou não, de que maneira isso pode ser descartado, fui eu quem consumiu todas essas embalagens… começam a nos fazer refletir, também, sobre nossos hábitos de consumo.

Reciclagem e poluição no consumismo

No Brasil, 37% de todo o papel produzido é reciclado. Já o plástico, apenas 19% de todo o produzido é realmente reciclado. Os anos para decomposição desses produtos na natureza, respectivamente, são de 3 a 6 meses e 100 anos.

Esses produtos, quando produzidos geram muito CO2. Quando não reciclados, demoram para se decompor e mais material é produzido, dando mais espaço para o consumismo. Esses fenômenos contribuem cada vez mais para a poluição, gerando Efeito Estufa, doenças respiratórias e muita sujeira.

Marketing e Consumismo

O principal objetivo do marketing é obviamente o lucro e o volume de vendas, é capaz de influenciar as necessidades e vontades dos consumidores, surgindo assim os consumistas. O fato é que quanto mais compramos, mais lixo temos.

Atualmente, pessoas preocupadas com o futuro do planeta tem procurado adquirir produtos ambientalmente saudáveis em supermercados e compras. Tal fato causou imensa mudança no marketing, que começaram a ser avaliados pela responsabilidade social na preservação do meio ambiente.