Basquete 2i

Educação física

Introdução ao basquete

O basquetebol foi criado pelo norte-americano de origem canadense James Naismith, professor da Universidade de Springfield, em Massachussets. O professor de educação física precisava de uma atividade que acabasse com a monotonia imposta pelo rigoroso inverno daquele ano e que fosse praticado num ginásio fechado. O objetivo do jogo era arremessar bolas de couro em cestos de palha colocados a 3,05m de altura. O sucesso foi absoluto e o jogo foi batizado de bola ao cesto, ou basket-ball, em inglês.

O propósito do jogo: O jogo é iniciado com o lançamento da bola no ar, e o propósito do mesmo é fazer com que a bola entre no cesto da equipe adversária (marcando pontos) e, simultaneamente, evitar que esta entre no próprio cesto, respeitando as regras do jogo. A equipe que obtiver mais pontos no fim do jogo vence. Os jogadores batem a bola contra o chão caminhando dentro do campo, podendo repassá-la a um jogador da equipe. Principais circuitos mundiais competitivos: World Championship U17 A FIBA Campeonato Mundial Sub-17 é um campeonato sub-17 de basquete da Federação Internacional de Basquetebol ( FIBA ). O evento foi, pela primeira vez em julho de 2010 e é realizada duas vezes por ano.

Liga das Américas A FIBA Liga das Américas é uma competição internacional de basquetebol masculino entre clubes da América, em caráter anual e sendo organizada pela FIBA Américas. A Primeira edição começou em 4 de dezembro de 2007. Na edição de 2007/2008, a competição contou com 16 equipes de todas as partes das Américas (sul, central e norte). Copa Stankovic A Copa Stankovic é uma competição oficial organizada pela FIBA, que foi nomeado em homenagem ao presidente lendária da FibaBorislav Stankovic. É comemorado todos os anos com a participação de seis equipes. Sua primeira edição foi realizada no ano de 2005. Todos os anos, a China desempenha o papel de anfitrião. Jogos Olímpicos O basquetebol é disputado nos Jogos Olímpicos modernos desde Berlim 1936. Em St. Louis 1904, apareceu como esporte de exibição. O torneio feminino estreou em Montreal 1976. Os maiores vencedores são os Estados Unidos, criadores do esporte, com 13 das 17 medalhas de ouro no masculino, e 6 das 9 no feminino.

O basquete foi um dos primeiros esportes a aceitar a presença de profissionais, embora os Estados Unidos só começassem a mandar atletas da NBA em 1992. Liga Internacional de Basquete de Rua Liga Internacional de Basquete de Rua - LIIBRA - é a soma de um conjunto de campeonatos de basquete de rua de abrangência nacional e internacional. Criado pela organização não-governamental Central Única das Favelas (CUFA), ou seja, a LIIBRA mobiliza, com regras próprias, os circuitos em 20 países, além dos 26 Estados brasileiros e Distrito Federal. São 81 mil atletas e 5 mil produtores e voluntários envolvidos no esporte de particiação e cidadania.

A competição acontece durante todo o ano em diversos espaços alternativos dos países participantes, seja em ruas, praças, viadutos, etc. Em 2005 a CUFA incorporou no movimento hip hop o basquete de rua e o skate, logo, para que o espaço possa ser reconhecido como de basquete de rua é preciso que exista na periferia das arenas outras manifestações artisticas como dj´s, break, graffiti, rap e skate. Outros torneios mundiais importantes seriam, por exemplo, o Torneio Albert Schweitzer, a Taça Continental Stankovic, o Club Friendly, Club Friendly Women, Electrobras Tournament e entre outros diversos.

Até 1986, quando foi realizado na Espanha, o número de participantes do Mundial Masculino variava a cada edição, sendo que a partir do campeonato de 1990, na Argentina, o número de países participantes foi fixado em dezesseis, com as vagas distribuídas de acordo com os critérios estabelecidos pela Federação Internacional de Basquetebol (FIBA). Em relação aos participantes, o primeiro campeonato foi o que apresentou o menor número de países (10) e o Campeonato realizado na Espanha, em 1986, foi o maior número (24). Países com maior número de participantes : Os Estados Unidos é o país com maior número de participantes,tendo a melhor liga do mundo (NBA).

Na America do Sul,em termo de popularidade,encontra-se a Argentina em primeiro lugar. No início o basquete não era algo muito conhecido, e com isso, não atraia muita atenção. Depois, quando passou a ser um esporte notório, ocorreram alguns problemas causados por alguns jogadores muito famosos que começaram a se envolver com drogas e bebedeiras desenfreadas fazendo com que o basquete se tornasse sinônimo de decadência e pilantragem. Pais diziam aos seus filhos que basquete era coisa de vagabundo. Com certos recursos, como a entrada de novos jogadores, os problemas passaram a diminuir gradativamente. No momento em que o basquete passa a ficar famoso internacionalmente, há uma grande elevação no número de espectadores. Uma das associações mais famosa do basquete é a NBA, que com a sua grande fama, ajudou na popularização do esporte, como apresenta esse texto: “A NBA passou a ter projeção mundial, sendo transmitida para diversos países do mundo, que não só assistiam aos jogos, mas se apaixonavam pelo basquete, comprando camisetas das equipes, flâmulas, calçados, materiais esportivos etc. As finais eram uma grande festa. Assistir Larry Bird contra Magic Johnson ficou na memória de milhões de torcedores.

Os jogos não eram simples partidas, eram verdadeiros espetáculos.” Cada vez mais, os jovens que aprendem a jogar basquete no Brasil estão sendo levados para o exterior. Mesmo de longe, a comissão técnica da seleção brasileira está acompanhando a campanha dos jogadores que atuam no exterior, como o Marcelinho Huertas, destaque no Brasil e armador do Barcelona. "O amadurecimento dos nossos jogadores na NBA chegou. Hoje eles não são mais promessas, são realidades. Todo mundo fala deles, do Varejão, do Nenê, do Tiago e do Leandrinho. Isso é ótimo para o basquete brasileiro."- disse José Neto, assistente técnico da seleção.

Big image

Tecnologia da informação no esporte

Big image

A expressão TIC é usada para abranger as inovações tecnológicas e a tendência atual ao acesso rápido à informação e à comunicação, que se transformam rapidamente na chamada “Sociedade da Informação e Conhecimento” que se estabelece através dessas “novas mídias”, propiciada pela Internet e sistemas digitais.

A tecnologia é uma grande aliada quando se diz respeito ao esporte, se tornando por tanto muito importante e eficaz, já que torna possível para os atletas a obtenção de informações e recursos necessários para aperfeiçoar seu treinamento como, por exemplo, ajudando-os a superar limites ou dando uma forcinha ao juiz, quando o olho humano acaba falhando, e as máquinas contribuindo para um resultado mais justo.

No nado sincronizado, por exemplo, a tecnologia se faz presente através de recursos de áudio. Para que os atletas possam ouvir a música, é utilizado um som subaquático com uma ótima qualidade acústica, e também um clip para tampar o nariz.


Tecnologia e basquete:

No ano de 2009 foi lançada uma tecnologia que revolucionou o basquete, e consiste em ajudar o árbitro a ser mais justo e coerente com ambos os times. É um aparelho chamado de “Digital Scorecheet”. Hoje a tecnologia cresceu muito, chegando até os uniformes. A cada ano, novos tecidos estão sendo usados para a produção desses uniformes, que são bem mais leves, duram mais que os antigos e são bem mais confortáveis.


Tecnologia e fins salutares:

A tecnologia sem dúvidas hoje, ajuda também na saúde, como por exemplo, Quando cria aplicativos que te incentivam a correr, ou a fazer uma atividade física, ou aplicativos que ajudam a ter-se uma alimentação regulamentada. Até mesmo um jogo de dança de vídeo game tem opções para perder peso, e consequentemente melhorar a saúde.

Tecnologia nos esportes

Fotos e vídeos feitos para análise

Arremesso
Arremessos
IMG_3093
Arremessos

Análise das fotos e dos vídeos

O Nosso objetivo com esta página é mostrar como a tecnologia pode influenciar, e melhorar resultados quando o assunto é o esporte. Vamos começar com a análise das fotos tiradas durante os primeiros movimentos:


Observamos com a análise que ocorreram algumas falhas durante o movimento como: em um dos casos, os pés estavam demasiadamente afastados, e o correto seria que o pé do mesmo lado da mão que fosse lançar estivesse ligeiramente a frente do outro; o uso da palma das mãos para segurar a bola, sendo que o correto seria somente os dedos; a bola ficou muito abaixo na hora de segurar, e deveria ter ficado na altura do peito; Não houve um ajustamento correto dos braços, já que o braço do arremesso, deveria fazer um ângulo de 90 graus; a distensão das pernas foi pouca em alguns casos, o que fez com que a bola não atingisse uma velocidade desejada, já que quanto maior essa distensão for, maior será a velocidade da bola; o uso das duas mãos durante o arremesso, ou com a mão de apoio no lugar incorreto, tendo de ser na lateral da bola; por último, em alguns casos o pulso não foi flexionado o suficiente, de modo que a bola não tocou o dedo indicador como último dedo.


Larissa: 2 arremessos

Anna Carolina: 1 arremesso

Amanda Minafra: 0 arremessos


A Larissa conseguiu acertar a cesta, pois seus pés estavam devidamente alinhados. Seu pulso conseguiu atingir uma flexão boa para que chegasse ao acerto. Poderia haver uma melhora no posicionamento dos dedos, ao invéz da palma em contato direto com a bola na hora do arremesso.


A Anna Carolina poderia haver uma melhora na posição dos pés que acabaram sendo trocados, a flexão dos joelhos foi correta, as mãos não tiveram força suficiente para a realização de outra cesta provavelmente por causa da posição errada ou na hora do pulo do arremesso.


A Amanda não conseguiu realizar acertos, pois seus joelhos estavam muito afastados e na hora do pulo houve um desequilíbrio. Houve o uso de suas duas mãos, ao invéz de apenas uma mão e a ponta dos dedos.


Podemos concluir que a Larissa teve um resultado mais satisfatório comparando com a Anna Carolina e Amanda.

Big image

Novos resultados com a ajuda da tecnologia e conclusão:

Com a ajuda da pesquisa que fizemos, e com as fotos e vídeos analisados, podemos perceber que houveram mudanças significativas nos movimentos dos jogadores, onde tentamos ao máximo consertá-los para que pudessem fazer o melhor possível em seus movimentos. Vários desses movimentos estavam antes sendo feitos de modo errado.
Como se pode ver na comparação entre as tabelas abaixo, as conversões aumentaram sim:
Tabela inicial:
• Larissa: 2 acertos
• Anna Carolina: 1 acerto
• Amanda: 0 acertos
Tabela final:
• Larissa: 5 acertos
• Anna Carolina: 3 acertos
• Amanda: 2 acertos
Todas elas tiveram um aumento no número de conversões. A Larissa acertou 3 cestas a mais; a Anna Carolina acertou 2 cestas a mais; a Amanda acertou também, 2 cestas a mais.
Houveram algumas dificuldades ao incorporar esses novos movimentos como:
• Amanda teve dificuldade em manter os pés juntos e apoiados, e em segurar a bola apenas com os dedos ( estava segurando com a palma da mão)
• Anna Carolina teve dificuldade em manter a mão de apoio na lateral da bola, mantendo-a na frente da bola muitas das vezes.
• Larissa teve dificuldade em manter somente os dedos na bola, mantendo, assim como a Amanda, a palma da mão na bola.
A possibilidade de que, através do auxilio da tecnologia, o movimento das atletas pudessem melhorar fora completamente confirmado! A tecnologia nos proporcionou diversas informações e recursos para que o aperfeiçoamento fosse possível.
Através da analise feita, nós pudemos observar durante os arremessos algumas falhas, mas com a ajuda da tecnologia, conseguimos ajustar muitas delas. Através desse mecanismo, podemos observar, por exemplo, que na maior parte dos casos os pés estavam muito afastados, as palmas das mãos estavam completamente apoiadas na bola, o braço não estava formando um ângulo de 90º e entre outros aspectos essenciais para um lançamento efetivo. Apesar de certas dificuldades das atletas para completar alguns movimentos, podemos observar uma melhoria de aproximadamente 50% dos arremessos. Assim, reafirmando que a tecnologia fora essencial para a melhoria desta prática.

Curiosidades:

Big image

- O Basquete é um dos esportes mais praticados no mundo. Atualmente mais de 170 países estão fialados a Federação Internacional do Basquete Amaodor, entidade máxima da modalidas.


- Oscar Schmidt, o maior nome da história do esporte no Brasil, afirma ter marcado 49.737 pontos em 1.615 jogos alcançando uma média de 30,7 por partida.


- Somente em 1894 foi utilizada uma bola específica para o basquetebol.


- Registros escassos mostram que Maude Sherman (que depois seria a esposa de Naismith) foi quem realizou o primeiro jogo feminino, em março de 1892 no Buckingham Grade School.


- Em Jogos Olímpicos, o predomínio é dos Estados Unidos. São 12 medalhas de ouro, contra duas da ex-União Soviética e apenas uma da antiga Iugoslávia. Entre as mulheres, as norte-americanas também levam vantagem com cinco conquistas, contra duas da ex-União Soviética.


- Brasil e Estados Unidos são os dois únicos países que estiveram presentes em todas as edições da competição. Os brasileiros foram campeões duas vezes, em 1959 e 1963, e os norte-americanos, três, em 1954, 1986 e 1994.


- O placar mais alto em uma partida de basquete aconteceu em um jogo internacional de veteranos nos Jogos Asiáticos-1982, quando o Iraque venceu o Iêmen por 251 a 33, em Nova Déli, na Índia.


- Enquanto o basquete masculino estreou em Saint Louis-1904, como esporte-exibição, o basquete feminino só entrou no programa dos Jogos Olímpicos em 1976, na Olimpíada de Montreal (Canadá)

Integrantes do grupo:

Big image
Anna Carolina, Isadora Camelo, Larissa Malschik, Brendha Mendes, Amanha Minafra e Alecsandra Fontenele. (As demais integrantes do grupo, Márcia e Júlia, não estavam no dia da foto)