Direitos a Todos e Todas

Pedro Henrique e Ciro Guerra

Video Ofical da Campanha

Smore/igualdade de gênero

Cartaz de Divulgação da Campanha

Big image

Logotipo da Campanha

Logo Original da Campanha

Big image

Pré-Projeto de Campanha

Justificativa:


Notando-se a necessidade de promover o inciso I do Artigo 5 da Constituição Federal demonstrando que a igualdade entre gêneros é um direito garantido e que todo e qualquer tipo de desigualdade nesse aspecto é crime, essa campanha torna-se pertinente. Uma vez que para desfrutar de um futuro mais justo e igualitário, é preciso trabalhar uma consciência ética e moral hoje.


Objetivo Geral:


Criar consciência nas pessoas sobre tal inciso ( I ), defendendo a ideia de respeito mútuo entre os sexos, tendo sempre em mente conscientizar as gerações futuras de que mulheres e homens são iguais em direitos e obrigações


Objetivos Específicos:


1- Conscientizar o público jovem de que vivemos em um mundo machista até hoje, e que isso deve mudar;

2- Defender a ideia de igualdade entre todos os gêneros, enfatizando sempre que nenhum sexo é melhor do que o outro, portanto somos iguais perante a lei.

3- Plantar a consciência nos jovens de hoje, tendo em vista a conservação da moral das gerações futuras.


Estratégias:


1- Criação de uma logomarca representativa, apresentada em todas as peças e veículos utilizados na divulgação;

2- Utilização das redes sociais como principal meio de divulgação, tais como facebook, twitter, entre outros;

3- Distribuição cartazes e panfletos nas concentrações de público jovem, tais como o templo da 116 sul e escolas




Inciso I do Artigo 5º da Constituição

''Homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição''

Desigualdade de Gênero nos Dias de Hoje

Atualmente muito é discutido entre homens e mulheres e pouco é conquistado, apesar da maioria da população, principalmente homens pensarem que vivemos em uma sociedade igualitária para ambos os sexos. Porém é possível constatar que não é a realidade vivida por todos e todas, afinal a mulher no mercado de trabalho é injustiçada pois geralmente recebem salários menores que os homens.

Com poucas pesquisas, tornou-se fácil a naturalização do discurso de que elas sempre exerceram um papel secundário na sociedade, pois a mesma investe muito nesse processo, ao tentar fazer crer que a atribuição do espaço doméstico à mulher decorre de sua capacidade de ser mãe. De acordo com esse pensamento, é natural que ela se dedique aos afazeres domésticos.

Aos poucos esse processo de naturalização vem se desconstruindo, em parte graças aos estudos antropológicos que apontam para existência do sistema matriarcal, além de denunciar que a humanidade, em seu processo de evolução, ancorada nos conceitos religiosos, culturais e econômicos, submeteu a mulher a um “código de conduta” perverso, transformando-a em um ser inferior.

Conclui-se que assim como no passado, resistir e denunciar o sistema patriacalista continua sendo tarefa das mulheres desta geração. Afinal, nesta luta milenar, mundial e permanente, sempre haverá mulheres organizadas fazendo a disputa política, lutando para que o Estado e a sociedade reconheçam e devolvam às mulheres o patamar de igualdade que elas tinham no sistema matriarcal.

Sociologia- Popplet do artigo 5 e dos Direitos Humanos

Uma Nova Pespectiva do Assunto

Questões Trabalhistas: Mulheres recebem até 30% a menos que os homens. E há também a expressão "teto de vidro" que impede que as mulheres ocupem cargos altos. Apesar de serem 50% homens e 50% mulheres na maioria das universidades, mas as mulheres raramente são reitoras.

Fonte: www.g1.com.br

Big image

Human Rights Violation Popplet