Mira Geral

O jornal que acerta NA MOSCA

PM reformado reage a assalto e mata suspeito nos Jardins

Um sargento reformado da Polícia Militar reagiu a um assalto e matou um suspeito, no final da noite de terça-feira (4), na região dos Jardins, zona oeste de São Paulo.

O crime aconteceu por volta das 21h30, na rua José Maria Lisboa, próximo ao número 625. De acordo com a polícia, o militar estava com seu carro parado em um semáforo quando foi abordado pelo criminoso.

Com um arma de brinquedo, o assaltante bateu no vidro do carro. O sargento sacou um revólver e baleou o homem, que morreu no local.

O caso foi registrado no 78º DP (Jardins).

Podemos ver aqui uma notícia com a qual podemos fazer uma relação com o naturalismo. Esse assunto de instinto do ser humano numa ação e reação imediata, violenta, era sempre discutido no teatro naturalista, mostrando cenas das pessoas no seu nível mais baixo, tanto em violencia quanto no âmbito sexual.


Governo já perdeu neste ano R$135 bilhões com sonegação

BRASÍLIA – Chega a R$ 135 bilhões a perda estimada do governo brasileiro com a sonegação de impostos e contribuições de empresas e cidadãos nos primeiros cinco meses do ano. Os cálculos são do Sonegômetro, placar on-line da sonegação fiscal no Brasil que será lançado nesta quarta-feira pelo Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz).

Por esses cálculos, em média, R$ 894 milhões por dia deixaram de entrar nos cofres públicos dos governos federal, estaduais e municipais devido a fraudes como a não emissão de notas fiscais e a elevação artificial de gastos em declarações de Imposto de Renda.

Pelas contas da entidade, que fez o cálculo com base em um conjunto de indicadores de sonegação fiscal e em dados da própria Receita Federal, o valor perdido de janeiro a maio seria suficiente para construir 120,7 mil quilômetros de estradas asfaltadas. Também poderia ser utilizado para pagar o benefício básico do programa Bolsa Família (de R$ 70) para 160,7 mil pessoas ao longo de 12 meses, estima o sindicato. Mantida a média atual, no fim do ano, o valor sonegado chegará a R$ 324 bilhões.


Já nessa outra notícia, vemos uma história diferente. Não tem haver com violência (diretamente), nem a banalidade humana, mas sim sua corrupção. Todos criticam muito os governantes sobre desvio de dinheiro público, má qualidade nos atendimentos de hospitais, mas essa notícia mostra que mesmo a população deixa de pagar os impostos por falsificações, falsos testemunhos e outros crimes. Esse aspecto das pessoas, de que mesmo aqueles que parecem ser completamente bons do lado de fora ainda têm corrupção no seu interior, era explorado no teatro realista, conhecido pelos seus dramas familiares e políticos.