Basquetebol

2°F

Introdução

O basquete surgiu em 1891 nos Estados Unidos, inventado por James Naismith.
Foi trazido para o Brasil em 1894, por August F. Shaw, professor de artes. Fazendo o Brasil ser o primeiro país da América do sul e o quinto país do mundo a receber o basquete.
O objetivo do jogo é introduzir a bola na cesta da equipe adversária e tentar impedir que seja introduzida em sua cesta. A equipe que fizer mais cestas marcará mais pontos, ganhando o jogo.
Os melhores atletas foram:
Michael Jordan
Earvin Johnson
Kareen Abdul
As principais mudanças ocorridas foram:
A participação feminina
Bola especificamente para basquete
Passou a fazer parte dos jogos olímpicos
É visto como uma prática saudável.

A tecnologia no basquete

Treinadores e atletas estão sempre se empenhando para alcançar o desempenho máximo. A tecnologia eletrônica moderna, a Internet e a comunicação digital multiuso de alta velocidade, torna possível obter, analisar e integrar informações e recursos de maneira eficiente e efetiva para aperfeiçoar o treinamento. Esses recursos podem ser acessados em tempo real e as mudanças, se necessárias.
A tecnologia ajuda também atletas paraolímpicos. No caso do basquete ajuda principalmente os cadeirantes, possibilitando um melhor desempenho. O esporte Começou a ser praticado nos Estados Unidos, em 1945. Os jogadores eram ex-soldados do exército norte-americanos feridos durante a 2ª Guerra Mundial. O basquete em cadeira de rodas foi a primeira modalidade paraolímpica a ser praticada no Brasil, em 1958, por Sérgio del Grande e Robson Sampaio que, ao retornarem de um programa de reabilitação nos Estados Unidos, trouxeram esta modalidade para São Paulo e Rio de Janeiro. O primeiro jogo de basquetebol em cadeira de rodas entre equipes brasileiras ocorreu em um confronto entre paulistas e cariocas, no Ginásio do Maracanãzinho (RJ). A tecnologia, nesse caso é muito benéfica ao atleta paraolímpico, porque além de possibilitar o acesso ao esporte, vem evoluindo e desenvolvendo técnicas.


ANÁLISE DE ARREMESSOS

mi 1
0 acertos em 10 arremessos.
O arremessador, para melhorar seu desempenho, deve aprimorar sua técnica de arremesso, especalmente os movimentos de seus pulsos e mãos, de modo que lance a bola mais alto para acertar a cesta com um angulo mais aberto.
ga 1
4 acertos em 10 arremessos.
A arremessadora, para melhorar seu desempenho deve aprimorar a técnica de arremesso e arremessar mais forte, para que a bola suba mais, chegando à cesta por cima.
er 1
2 acertos em 10 arremessos.
É aconselhavel que, em função da melhoria de seu desempenho, o arremessador arremesse com menos força e flexione mais seus joelhos, para ganhar mais precisão.

TENTATIVA DE CORREÇÂO DOS MOVIMENTOS

Arremessador 1
2 acertos em 10 arremessos.
mi 2
Arremessadora 2
5 acertos em 10 arremessos.
ga 2
Arremessador 3
2 acertos em 10 arremessos.
er 2

Conclusão

É possivel dizer, atráves da observação dos resultados, que a analise de movimentos e a apicação de correções aos arremessos pode ajudar a melhorar o rendimento. As correções melhoraram os arremessos, trazendo em dois dos casos um pequeno aumento na quantidade de cestas e no outro, pelo menos uma maior proximidade dos acertos. É importante lembrar que a melhoria consistente da técnica tende a vir com a prática e que o uso de tecnologia na analise e correção de movimentos é vantajoso principalmente para atletas de alto rendimento, que se dedicam muito aos esportes que praticam e devem levar em conta os mínimos detalhes de suas performances, na procura do aperfeiçoamento.