Jornal Cotidiano

Segundo ano J

RELIGIÃO

Correio VALE DO AMANHECER

Centenas de pessoas, fiéis ou não à doutrina, obtém diversas formas de curas comprovadas cientificamente todos os dias.


Toda a dinâmica desta intrigante doutrina será revelada e opinada por meio deste jornal impresso.

O que é o vale do amanhecer?


É uma doutrina espiritualista transmitida por um instrumento usado pela espiritualidade chamado tia Neiva. Neiva era uma médium clarividente que usava suas faculdades mediúnicas para cumprir com o seu compromisso terreno com a espiritualidade maior de fazer acontecer esta maravilhosa doutrina que hoje temos oportunidade de participar. A doutrina abrange vários símbolos de vários contextos religiosos e históricos, como Jesus cristo, pai seta branca, o principal ícone da doutrina, pirâmides egípcias, cabalas, médicos de cura kardecistas etc. o principal objetivo da doutrina é a cura desobsessiva dos pacientes e espíritos que chegam lá necessitando de auxílio. O templo principal foi construído em 1968.


Nas imagens podemos ver o símbolo da doutrina e um dos trabalhos (rituais) realizados lá, chamado “Estrela Candente”, onde as energias negativas da Terra são transmutadas, melhorando as energias do planeta.


A SOLIDARIEDADE É FEITA NO VALE DO AMANHECER A PARTIR DOS TRABALHOS, NOS QUAIS NÃO TIVEMOS PERMISSÃO DE OBTER IMAGENS E FOTOGRAFIAS. NESTES TRABALHOS OS MÉDIUNS COLOCAM EM PRÁTICA SUA SOLIDARIEDADE, USANDO SUAS FACULDADES MEDIÚNICAS PARA CURAR OS NECESSITADOS DIARIAMENTE, POR MEIO DE PASSES MAGNÉTICOS, MANIPULAÇÃO DE ENERGIA ATRAVÉS DA COMUNICAÇÃO COM ESPÍRITOS, ETC.


Como funciona esta doutrina?


Basicamente são desenvolvidos 2 tipos de mediunidade lá: a mediunidade de Doutrinação e a mediunidade de Incorporação (apará). Os médiuns aparás incorporam espíritos de várias hierarquias como: pretos-velhos, caboclos, médicos de cura, povo das águas (sereias), sofredores, etc. Os doutrinadores se comunicam com esses espíritos, elevando os sofredores, agradecendo os pretos-velhos, e dando passes energéticos nos pacientes. O mais comum trabalho que os pacientes recorrem se chama “Tronos”. Lá você possui a oportunidade de se comunicar com entidades recebidas pelo médium de incorporação. A partir desta “conversa” com a entidade, você é recomendado a passar em outros trabalhos da doutrina a partir de suas necessidades. Os trabalhos são diversos: Cura, Junção, Indução, Defumação, Linha de Passe, Estrela Cadente, Mesa Evangélica, Rhandi etc. Tudo que é feito nesta doutrina não exige nenhum custo e não se aceitam doações.


Nas imagens, Pai Seta Branca, principal ícone da doutrina, e os 2 símbolos que identificam as 2 mediunidades desenvolvidas na doutrina, a cruz representa a Doutrinação, e o triângulo vermelho representa a Incorporação.


Entrevista com uma integrante da doutrina, Ana.

Jornal: o que é o vale do amanhecer para você?

Ana: É A OPORTUNIDADE DO ENCONTRO COM A MINHA INDIVIDUALIDADE ONDE POSSO CONHECER E CORRIGIR O RUMO DESSA MINHA ENCARNAÇÃO. É UM APOIO PARA O MEU DESENVOLVIMENTO ENQUANTO ESPÍRITO ENCARNADO.

Jornal: Como você conheceu a doutrina e o que lhe levou a adentrar nela?

Ana: Estava com uma grande dor emocional e na busca de sanar essa dor, pensava que iria fazer terapia e tomar remédio controlado cerca de 10 anos e foi quando uma amiga me apresentou a doutrina. E no primeiro atendimento, me senti mais leve e em 2 meses eu já me encontrava completamente curada e resolvi também fazer parte desta maravilhosa doutrina para apoiar as outras pessoas.

Jornal: Qual a mediunidade que foi desenvolvida em você, e qual o seu sentimento sobre isso?

Ana: Mediunidade de incorporação (apará). Meu sentimento é de plenitude e cada trabalho é um grande encontro de almas e a cada dia maravilhas se revelam em minha vida.

Jornal: QUAL É A IMPORTÂNCIA DA DOUTRINA PARA A HUMANIDADE?

ANA: ACREDITO QUE É UM DIVISOR DE ÁGUAS NA ENTRADA DO TERCEIRO MILÊNIO, COM 1600 TEMPLOS POR TODO O MUNDO, É UM GRANDE APOIO PARA AQUELES QUE BUSCAM UM ALENTO EM SEUS SOFRIMENTOS, SEJAM ELES FÍSICOS OU ESPIRITUAIS.


Segue ao leitor algumas informações para você que deseja fazer uma visita e experienciar a encantadora oportunidade de ser atendido nesta doutrina:

Acesso pela DF-230 e DF-130

Vale do Amanhecer, Planaltina, Brasília, DF

(61) 3389-8754

HORÁRIO:

Diariamente, das 10h ás 0h

Site:

http://www.valedoamanhecer.org.br

Grupo: Felipe Vanderlei de Farias (nº 15) e Gabriela Oliveira Sabadini (nº 18). 2º J.


AÇÕES SOLIDÁRIAS

O Grupo Apóstolos da Alegria é oriundo da Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês, criado pela iniciativa de jovens que frequentam à paróquia que ao longo dos anos vem se reunindo para preparar a encenação da Via Sacra.

Esses jovens se reuniam e ensaiavam a via sacra por meses antes da Sexta-feira Santa, dia que ocorre a encenação na paróquia e seus arredores. Entretanto, o grupo foi ficando mais entrosado e mais amigo, e eles começaram a sentir saudades das reuniões preparatórias, das partilhas, dos momentos alegres quando se encontravam e decidiram que deveriam ter outros encontros e não ficar aguardando a época da via sacra seguinte.

Os encontros foram acontecendo e surgiu a ideia de promoverem ações de alegria dentro e fora da igreja. E assim, com a ideia amadurecida, surgiu “Os Apóstolos da Alegria” que tem como objetivo envolver jovens que queiram levar a alegria além da paróquia, percorrendo asilos, hospitais, creches, promovendo o sorriso nas crianças, jovens e idosos, através da mensagem alegre do teatro, que expressa o amor de Deus por todos.

O grupo reúne-se semanalmente, aos domingos, no auditório da paróquia, às 17:00 h e está aberto a todos que queiram ser emissários da alegria, sendo esta a única condição. Nesses encontros, há momentos de oração, de música, de partilha, sendo que o tema - objeto de discussão de cada encontro - é preparado por um membro responsável previamente definido, e apresentado para discussão, normalmente acompanhado de dinâmica. Como fechamento da reunião, é feita apresentação de teatro e oração final. Após a reunião, todos participam da missa semanal na paróquia.


Grupo: Ester, Isadora, Elisa, Bruna


ESPORTE

Filme "Invictus" - Ética no esporte


Quatro anos após sair da prisão, Nelson Mandela se elegeu o primeiro presidente negro da África do Sul, um país onde, por décadas, a maioria negra não tinha quaisquer direitos políticos, sociais e econômicos. A nação encontrava-se dividida entre negros e brancos, na qual de um lado havia a vontade de ocupar seu espaço e conquistar o que é de direito de cada cidadão, e do outro, o medo e desconfiança de sofrer um atentado por vingança devido aos anos de opressão e pensamentos de boicotar o novo governo.

Mostrando sabedoria política exemplar, Mandela sabe que terá de satisfazer aos dois lados e conquistá-los. A oportunidade para isso apareceu com a Copa Mundial de Rúgbi que seria sediada na África do Sul. Um esporte considerado branco, o rugby era desprezado pela maioria negra. Para piorar, a seleção nacional não apresentava um desempenho satisfatório. Tentando reverter a situação, Mandela chama o capitão do time Pienaar para ajudá-lo na empreitada e, para isso, ele tem que levar o time à final da Copa do Mundo de Rugby. Transformar o time perdedor em campeão e fazer com que brancos e negros se unam em prol da comemoração do título.

O filme mostra o poder transformador do esporte e que o orgulho do time uniria uma nação em prol de um ideal para chegar ao perdão e ao convívio pacífico entre brancos e negros num país onde reinava o racismo. Invictus demonstra como o esporte é capaz de gerar o respeito à diversidade; isto motivado pela reunião das pessoas, independente de suas origens, sejam elas étnicas, econômicas, sociais.


Grupo: Felipe Carvalho, Pedro Henrique Lopes, Diego.

EDUCAÇAO FISICA

Grupo 2

"O futebol é o esporte coletivo mais praticado do mundo. É disputado por duas equipes, de 11 jogadores que têm como objetivo colocar a bola entre as traves adversárias o maior número de vezes sem usar mãos e braços. Esse objetivo é chamado gol (português

brasileiro) ou golo (português europeu). A meta ou baliza, mais conhecida como trave, é um retângulo formado por duas traves ou postes verticais, perpendiculares ao solo, e uma trave ou travessão paralela ao solo.

Partida de futebol

Ali fica posicionado o goleiro, ou guarda-redes, que é o único jogador com permissão para colocar as mãos na bola (apenas dentro da sua área e quando a bola é recuada com os pés por um jogador do seu time, o goleiro não pode pegar a bola com as mãos, apenas se for recuada com a cabeça ou peito), defendendo o gol. O jogo é vencido pela equipe que marcar um maior número de gols. A FIFA (Federação Internacional de Futebol), com sede em Zurique, Suíça, é a entidade que regulamenta o futebol no mundo. A partir de 1930 a FIFA passou a realizar de quatro em quatro anos a Copa ou Campeonato do Mundo de Futebol, competição internacional que se tornou a mais popular e disputada de todo o mundo depois das Olimpíadas." (Introdução ao futebol. Google.)


Chineses


Na China, surgiram as primeiras formas de jogo que se assemelham mais ao futebol de hoje. Era comum chutar crânios de inimigos derrotados, porém, muito tempo depois, esses crânios foram substituídos por bolas de couro, cheias de cabelos, usadas para treinar soldados. Em 206 a. C. foi publicado um livro regulamentando um jogo de aplicações no treino militar. O jogo era disputado por 16 jogadores que se dividiam em duas equipes.


Gregos

Na Grécia, existiu um jogo chamado “Epyskiros” que, assim como na China, servia para treinar os militares. O “Epyskiros” era jogado num campo retangular, por duas equipes de 9 jogadores.


Astecas

Utilizavam uma bola de borracha, porém, as regras do jogo eram diferentes. Nem sempre se jogava com o pé, mas sim com o antebraço. O time ganhador era sacrificado e seu sangue oferecido para os deuses.


Romanos

Em Roma (aproximadamente na Idade Média) surgiu o “Harpastum”, que derivou do “Epyskiros”. O “Harpastum” era um jogo de militares que se dividiam em defensores e em atacantes.


Ingleses


Foi na segunda metade do século XVII que o jogo foi para a Inglaterra. O terreno tinha que medir 120 metros por 180 metros e nas suas extremidades havia dois postes de madeira, denominados de gol (do inglês “goal”, que significa objetivo).



Grupo: Camila Mendez, Luisa Rosa, Jose Grossi, Paulo Marques, Bruno Guimaraes, Ester, Mayara Ramos, Mariana Pessoa, Fernando Pena

Grupo 4

Campeonato organizado pelo grupo será montado, primeiramente, por oito equipes, apesar de que qualquer número múltiplo de quatro possa ser escolhido. As equipes serão divididas em dois grupos de quatro equipes cada e competirão a Fase de Grupos.

Após a Fase de Grupos, os dois primeiros colocados de cada grupo, disputarão o Mata-Mata, composto pela semifinal e a grande final.

Os critérios para o acúmulo de pontos na Fase de Grupos, para o avanço pra final e para a efetivação da conquista do campeonato não seria apenas a vitória nas decorridas partidas, mas também a distribuição do cumprimento do gol e das assistências entre os jogadores participantes. Por exemplo, se em um determinado jogo a equipe A vencer a equipe B pelo resultado de 10 x 5, mas apenas um único jogador fizer os 10 jogos da equipe A enquanto 5 jogadores diferentes fizerem os gols da equipe B, a equipe B estaria favorável. O critério de distribuição das assistências entre os jogadores ficaria como critério de desempate.


SAÚDE

Medicina com o coração

Para muitos médicos o importante na medicina não é o dinheiro ou o prestígio, mas fazer bem ao próximo.



Sempre há notícias de grande repercussão na mídia a respeito da corrupção de médicos que ao invés de estarem em seus plantões em cargos públicos estão em seus consultórios particulares, mas é raro a notícia de médicos que atendem de graça famílias carentes. Existem organizações como os Médicos Sem Fronteiras (MSF) que tem como objetivo levar ajuda a quem precisa, independente de qualquer fator. Hoje, há mais de 34 mil médicos do mundo inteiro compondo essa organização. Um deles, o cirurgião britânico Paul McMaster, 70 anos, passou cerca de três semanas em um hospital de campanha improvisado dentro de uma caverna com outros 20 profissionais para atender feridos nos conflitos da Líbia. "Nós precisávamos estar perto da área de conflito para garantir tratamento aos feridos e doentes. A caverna era uma proteção, mas ouvíamos bombas na montanha acima de nós." Além disso, também disse "Nós não fazemos distinção. A organização é neutra e independente, atendemos quem precisar. Um soldado quando ferido não está mais em combate e quer ajuda. Mas havia uma regra, que era a de que ninguém podia entrar no hospital armado."

Big image
Paul e equipe em hospital na caverna


A MSF também esteve presente no desastre em Santa Maria aonde encaminharam duas psicólogas da organização para ajudar no atendimento às famílias e aos jovens e para orientar e treinar cerca de 100 outros psicólogos para poderem lidar melhor o possível com a situação. Além de organizações como a MSF existem outras como os Doutores da Alegria que já realizaram mais de 900 mil visitas a crianças hospitalizadas, seus pais e profissionais de saúde para levar por meio da paródia de um palhaço médico a alegria e a esperança que muitas vezes se tornam eficientes tratamentos e ajudam na recuperação e cura de suas enfermidades.


Big image
Doutor Tim Tim e Doutor Pipoca levando a alegria.


Médicos Sem Fronteiras - Hold on (Mantenha-se Firme)

OPINIAO

Carla Aragao

Formada em Comunicação pela Universidade Federal da Bahia, pelo Centro Interdisciplinar de Gestão e Desenvolvimento Social. Trabalhou como chefe do departamento de comunicacao do Mercosur, coordenadora executiva da Cipo-Comunicacao interativa, e gestora de programas educacionais do instituto inspirare

Famosos por sua hospitalidade, o povo brasileiro, em minha opinião, exerce uma espécie de solidariedade classista, sectaria e/ou limitada. É bem comum ver a solidariedade ser exercida entre iguais. Talvez isso seja decorrente de uma falta de educação para o exercício da cidadania e do exercício pleno dos direitos. Então assistimos pobres ajudando-se p amenizar sua situação de precariedade e ricos ajudando-se para continuarem ricos. Também vemos comunidades organizarem-se por suas demandas e isso fica evidente na luta das chamadas minorias: Comunidade negra lutando por seus direitos, Movimento lgbt, Grupos indígenas e por aí vai. Na minha percepção temos uma natureza potencialmente solidária mas precisamos compreender a grandiosidade da postura realmente solidária e que preza pelo coletivo. De forma geral exercemos uma solidariedade "parcial", ja q não temos uma noção e apropriação real dos nossos direitos e deveres, do que é público. Confundimos solidariedade com assistencialismo ou clientelismo. Imagino que com um processo sério de transformação do nosso modelo de educação, fomento aos processos de participação política e social, fortalecimento da cidadania, conseguimos transformar essa sementinha que potencialmente parece fazer parte da nossa cultura em uma postura solidária mais robusta, capaz de reverter as disparidades socioeconômicas tão gritantes em nosso país.

Ana Paula Maynart Cunha Formada em filosofia pela Universidade Catolica de Brasilia, pos-graduacao em filosofia e existencia. Participou de diversos projetos solidarios envolvendo educacao e filosofia, experiencia com filosofia para criancas e projetos culturais na America do Sul. O povo brasileiro e um povo, essencialmente, solidario. A propia condicao economica-social do nosso pais colabora para o desenvolvimento dessa caracteristica: muitos sofrem, aqui, as consequencias de um sistema injusto. Quem vê o semelhante sofrer, de alguma forma, sofre junto, sente a dor do outro. Cresce, com isso, o desejo de extirpar a dor sentida, de fazer a vida do outro mais digna. Emerge o sentimento de solidariedade. Ser solidario independe da faixa etaria: jovens, velhos e adultos, somos, no geral, sensiveis a dor do outro. As instituicoes educativas, porem, nao colaboram ativamente para o desenvolvimento desse sentimento entre jovens. Nao e sempre que se ve nos planejamentos pedagogicos das escolas a inclusao de atividades relacionadas ao bem comum, como por exemplo o trabalho voluntario. As escolas tem, no geral, como objetivo maior (muitas vezes objetivo unico) preparar os estudantes para o ingresso nas universidades. Passar no vestibular e se preparar para o mercado de trabalho, desejando a formacao de um professional de sucesso,acaba sendo o grande foco dos jovens.

Nina Cunha Moura Profissional da área de Educação e Psicologia com formação em coordenação de grupos operativos, experiência com adolescentes e jovens. Elaboração, execução, coordenação e supervisão de projetos psicopedagógicos, e, pedagógicos em língua portuguesa e inglesa. Psicologia e Psicopedagogia Clínica.

A sociedade brasileira contemporânea é produto da importância que o Capital foi adquirindo ao longo das últimas décadas. O grande trunfo do sistema capitalista é conseguir "mexer" no que move o ser humano: o desejo. Assim que um desejo é satisfeito, outro vem em seguida, e, assim acontece sucessivamente, se o sujeito não se der conta desse processo.Assim, vivemos em uma sociedade em que o consumismo, a competição e o individualismo imperam, onde um é melhor do que o outro por possuir mais "bens", por ser mais bonito e mais bem sucedido. A própria educação enfoca mais o aprender para ser bem sucedido do que em aprender para conhecer.Num mundo competitivo, o que vale é o individualismo, o "cada um por si". Se, ao contrário, o sujeito compreende que vivemos em um mundo focado no " bem comum", no qual todos tem direitos e deveres iguais, a solidariedade passa a ser algo natural. É importante enfatizar que assistencialismo não é solidariedade. Eu sou solidário a meu semelhante quando reconheço que, num dado momento, eu tenho condições de oferecer algo que ele necessita, sabendo que, em uma outra circunstância, eu também posso contar com a solidariedade de alguém. O assistencialismo pressupõe uma relação desigual, que pereniza a condição do "necessitado" e daquele que assiste por "bondade". Diferenças sempre existirão e são importantes e bem vindas, mas, é preciso saber que, em uma sociedade justa e igualitária, todos tem o mesmo direito à educação de qualidade, boas condições de saúde, alimentação, moradia, etc.

Apesar de muitos dos nossos entrevistados acreditarem que no brasil ha uma crescente tendencia ao individualismo, existe, uma concientizacao (de uma minoria) de que o nosso pais abriga a milhares de pessoas que passam necessidade diariamente.

Organizacao cidade sem fome Esta ONG desenvolve hortas em áreas sem utilização específica, principalmente na zona leste de São Paulo e com a participação de populações que se encontram em situação de vulnerabilidade social, são plantados alimentos de alto valor nutritivo.Essa iniciativa de desenvolvimento sustentável não apenas melhora a alimentação das comunidades com alimentos saudáveis e nutritivos, como também sua capacitação profissional, geração de renda e emprego, através da comercialização dos produtos obtidos nas hortas. http://cidadessemfome.org/pt/projeto/

ANISTIA Trabalhamos para defender os direitos humanos e garantir que todos os seres humanos desfrutem de seus direitos plenos. Não vamos parar até que todos vivam com dignidade; até que a voz de cada um seja ouvida, até que ninguém seja mais torturado ou executado. Nossos membros se dedicam à defesa dos direitos humanos através de cartas, campanhas, manifestações, vigílias e lobby direto junto a pessoas com poder e influência. Juntos, possuímos uma capacidade única de inspirar mudanças. Vamos usá-la! http://anistia.org.br/o-que-fazemos

O MOVIMENTO O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade é um movimento de voluntários APARTIDÁRIO, ECUMÊNICO e PLURAL da nação brasileira que visa ao alcance dos ODM -Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Brasil. Foi criado em 2004 para conscientizar e mobilizar a sociedade civil e os governos para o alcance, até 2015, dos 8 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), estabelecidos em 2000 pela Organização das Nações Unidas (ONU) em conjunto com 191 países, inclusive o Brasil.

O Movimento é uma iniciativa da sociedade civil, composta por empresas, governos e organizações sociais para envolver toda a sociedade e os governos no cumprimento dos ODMs. Na prática, o Movimento reúne iniciativas sociais espontâneas, de diferentes setores da sociedade brasileira. http://www.nospodemos.org.br/o-movimento#sthash.Os6On3Rm.dpuf


Grupo: Jose Grossi e Camila Mendez


CHARGE

Big image
Grupo: Bernardo Blom, Jose Raul, Bruno Guimaraes