Marcos e Deíse

No CONSUNI, uma UNIFAL -MG de todos para todos

Apresentação

A partir de 2010, após o último seminário da CIS, tive a oportunidade de conhecer e trocar experiências com muitos Técnico-Administrativos em Educação (TAEs), da UNIFAL-MG, momento em que se revelou uma série de problemas internos com relação às condições de trabalho e respeito ao exercício digno de nossas funções como servidores públicos. Alguns desses problemas vêm sendo justificados pela atual gestão como macroestruturais e que a solução dependem do Governo Federal como, por exemplo, a sobrecarga de trabalho e a duplicidade ou até o desvio de função que se origina da falta de TAEs.

Acredito que poderíamos avançar muito na solução destes e de outros problemas através de respostas locais, que poderiam já ter sido dadas por nossos dirigentes. Com relação a tudo isso, existem muitas questões a serem discutidas, mas o que me interessa neste momento é propor um plano de ações para este mandato do CONSUNI. Se Deíse e eu formos eleitos, propomos a construção de uma política de gestão de pessoas que valorize internamente os TAEs como profissionais e institua uma matriz de alocação de pessoal que efetive esta valorização, em conjunto com esse segmento, e sua defesa junto ao CONSUNI.

Neste sentido, aproveito para revelar que, nos últimos dois anos, encontrei em Deíse Inês Landre, à frente da chefia de um setor da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas, alguém que vem posicionando-se em defesa de uma política permanente dessa valorização, com muita transparência e honestidade, tanto entre os TAEs como nas instâncias superiores de gestão de nossa Universidade. Por esta razão a convidei para trabalharmos juntos na construção desta candidatura como membros do CONSUNI para representar os TAEs da UNIFAL-MG em defesa desta proposta.

Entendemos ainda que, como membros do CONSUNI, nossa atuação vai muito além desta linha de ação em defesa da valorização profissional dos TAEs em suas funções. Muitas das deliberações do CONSUNI, mesmo que aparentemente não interfiram diretamente em nossa vida como servidores, acabam de alguma forma nos afetando em nosso trabalho. Desta forma, acreditamos que devemos sempre nos unir aos demais representantes dos TAEs para nos posicionarmos e defendermos o segmento em seus interesses.

Para tanto, teremos como um princípio elementar de nossa atuação representar todos os TAEs em sua diversidade de formas de pensar, de necessidades e de demandas como protagonistas na construção de uma UNIFAL-MG de todos para todos.

Por fim, entendemos voto como a manifestação de uma vontade, de uma crença, de uma confiança. Para aqueles que acreditam e confiam que é possível reivindicar, legitimar e conquistar o que propomos aqui, estamos nos candidatando para representá-los no CONSUNI.