Basquetebol

Evolução

Grupo: do Segundo ''B''

Caio Sanches09, Marco Antônio35, Marcos Paulo36, Marcos Vinícius37, Pedro La Rosa42, Raquel Schinzel44 e Reno Costa45.

História

O basquete foi criado em 1891, pelo então professor de educação física James Naismith, em Massachusetts, nos Estados Unidos, com o intuito de criar um esporte para ser praticado em um local fechado, pois o inverno impedia a prática do beisebol e do futebol americano. O esporte chegou ao Brasil através do americano Augusto Shaw. Como e quem organiza as competições oficiais?O órgão responsável pela organização do basquete internacional é a FIBA – Federação Internacional de Basquetebol (semelhante à FIFA no futebol). Todas as suas determinações valem para todos os países onde o esporte é jogado, com exceção apenas da NBA, a liga profissional de basquete dos Estados Unidos. As regras da NBA, apesar de não serem muito diferentes das regras da FIBA, são um sistema próprio. As instituições responsáveis por ambas as regras estão trabalhando para que o regulamento exigido pelas duas se aproximem cada vez mais.A Confederação Brasileira de Basquetebol (CBB) é o órgão responsável pela organização dos eventos e representação dos atletas do basquete no Brasil, especialmente os Campeonatos Brasileiros de Basquete Masculino e Feminino. A CBB é filiada ao Comitê Olímpico Brasileiro e à FIBA. Os países que mais praticam o basquetebol são: Estados Unidos da América, Canadá, Espanha, Argentina, Brasil... O Brasil ao longo dos últimos anos vem se tornando um país muito forte nesta modalidade esportiva. Com a criação da FIBA (Federação Internacional de Basquetebol) em 1932, a mídia mundial tem voltado as suas lentes para o basquetebol pois as pessoas estão reconhecendo, admirando e se tornando muito mais fãs do esporte. A sua popularidade também se deve ao fato de ser um esporte simples e de baixo custo aquisitivo. A NBA (National Basketball Association) é a maior liga de basquete da America do Norte, considerada também a principal liga do esporte em âmbito mundial. Atuam nela 29 times americanos e 1 time canadense. Os atletas que atuam nesses times são uns dos mais bem pagos do mundo, com salários altíssimos, o que faz com que essa liga seja almejada pela grande maioria dos jogadores profissionais de basquete. Atualmente, existem seis brasileiros atuando na NBA: Anderson Varejão, pivô do Cleveland Cavailers; Fab Melo, pivô do Boston Celtics; Leandrinho, ala-armador do Boston Celtics; Nenê, ala-pivô/pivô do Washington Wizards; Scott Machado, armador do Houston Rockets; e Tiago Splitter, pivô do San Antonio Spurs.

Tecnologias do Basquetebol...

A Nike inventa mais uma tecnologia inovadora para o basquete. Um aparelho que pode ser colocado no tênis do atleta o (Nike+Basketball), que ao final de seus treinos pode constatar os seus dados pessoais e compará-lo com os de outros atletas. Sempre visando o aprimoramento da sua capacidade e diciplina no esporte.A tecnologia funciona da seguinte maneira: um sensor de pressão é acoplado a um tênis – o Nike Hyperdunk+ – e coleta informações sobre os movimentos do usuário, enviando via wireless para o telefone. Será possível analisar coisas como o salto vertical, a velocidade e até a força com que está jogando. Os sensores ficam localizados em quatro pontos do tênis. O primeiro jogador a testar a tecnologia foi o LeBron James do Miami Heat.
Introducing Nike+ Basketball

A tecnologia da informação nos esportes

A exemplo do futebol, temos a chuteira mais leve do mundo. Essa tecnologia foi desenvolvida para dar maior rendimento aos atletas em campo. A chuteira Adizero, criada pela empresa adidas, tem aproximadamente 195 gramas, e é compatível com “miCoach”, um programa que permite ao atleta analisar seus resultados durante os treinos. A chuteira, além de possibilitar maior estabilidade em campo, permite que o atleta seja mais veloz e tenha um melhor domínio. Com o programa, o atleta pode aprimorar seus treinamentos conforme os resultados obtidos.

Lançamento adidas miCoach
Os exercícios físicos praticados por pessoas comuns, que não são atletas de alto rendimento, também são beneficiados pela tecnologia. Atualmente, com os smartphones, existem vários aplicativos que ajudam muito na preparação física dos usuários. O Cardiograph é um exemplo, em que é possível aferir a freqüência cardíaca das pessoas durante os exercícios físicos, e monitora-la durante um período de tempo, para que seja possível que o usuário acompanhe a evolução de sua aptidão física.

Objetivo da Pesquisa

Melhorar o desempenho e entendimento do Basquetebol.
Abaixo os três piores lançes:
Abaixo os três melhores lançes:
Video final de educação física

Conclusão

Ao longo dos arremessos feitos durante a aula de Educação Física, referentes a um trabalho sobre o basquetebol, foi possível perceber que algumas pessoas tiveram mais sucesso em converter cestas do que outras. Ao analisar as três pessoas que arremessaram em nosso grupo, foram claras as diferenças entre elas, pois a quantidade de arremessos convertidos, apesar de não ser gritante, ficou bem explícita. Apesar disso, um ponto em que todos acertaram foi olhar para a cesta e não focar em outras coisas, um passo importante para ter sucesso em converter cestas. O aluno que fez mais cestas fez um movimento muito parecido com os de jogadores profissionais ao arremessar, em que, na posição inicial, ficou com os joelhos e os braços flexionados com a bola na altura do peito, apenas uma mão segurando a bola e a outra dando apoio, palma da mão sem encostar na bola, pernas paralelas com a referente a mão arremessando um pouco mais a frente, e, como foi citado anteriormente, olhar fixo na cesta. Para finalizar o movimento distendeu as pernas e os braços, dando impulso, e terminou com uma empunhadura que fez com que a bola fizesse parábolas perfeitas e girasse, o que aumenta a chance de êxito. O único ponto que precisa ser trabalhado é a mira na hora de arremessar. O segundo aluno arremessou um pouco mais diferente, o que evidenciou sua falta de técnica. Apesar de sua posição inicial ter sido muito parecida com a do primeiro aluno, sua finalização prejudicou seu desempenho. Diferentemente do primeiro aluno, não terminou o arremesso com a flexão do punho fazendo o movimento da empunhadura e, além disso, o ângulo de seu braço estendido em relação ao seu corpo foi muito menor, o que fez com que a trajetória da bola fosse mais uma reta do que uma parábola. Com isso, converteu menos cestas do que o primeiro. Portanto, ele precisa melhorar sua finalização, treinar a empunhadura e arremessar mais para cima. Já a terceira aluna, foi quem converteu menos cestas, tendo apenas 10% de aproveitamento. Sua posição inicial e sua finalização precisam ser trabalhadas. Primeiramente, ela estava segurando a bola com ambas as mãos e arremessando sem nenhuma empunhadura com o pulso, além de, assim como o segundo aluno, arremessar a bola com uma trajetória muito reta. Ela precisa melhorar esses aspectos para que a trajetória da bola seja arremessada com um movimento de rotação e sua trajetória seja uma parábola. Além disso, na maioria das situações, quando foi distender suas pernas, deu um pequeno pulo e abriu um pouco suas pernas, caindo com um pé mais a frente, o que deu desequilíbrio a ela e aumentou suas chances de errar. Todos esses erros foram cometidos porque ela não tinha técnica, mas também porque não tinha muita força para arremessar a bola. Portanto, é preciso que adquira mais força e técnica para arremessar melhor. É possível concluir então que o primeiro aluno tinha um maior conhecimento prévio sobre como arremessar do que os outros, e a última aluna tinha quase nenhum. Portanto, o primeiro aluno arremessou da forma mais correta e, com isso, converteu mais cestas. Para que os outros dois alunos consigam melhorar é preciso que se espelhem no primeiro e tentem fazer igual a ele, corrigindo os erros citados anteriormente.

Grandes Atletas: