MITOLOGIA

deuses da mitologia greco-romana

JÚPITER/ZEUS

O principal deus da mitologia grega é Zeus, equivalente a Júpiter na mitologia romana, considerado como o deus dos deuses da Grécia Antiga.

É o deus do céu e do trovão. Com o significado grego “rei divino”, Zeus era filho de Cronos e de Rea. Casou-se com a deusa e também sua irmã Hera, a deusa do casamento. Entre os filhos mais conhecidos (deuses e mortais) de Zeus estão: Apolo (deus da luz); Atena (deusa da sabedoria e da estratégia); Hermes (deus do comércio e dos viajantes); Perséfone (deusa do mundo subterrâneo); Dionísio (deus do vinho); Héracles (herói grego); Helena (princesa grega); Minos (rei de Creta) e Hefesto (deus do fogo).

Conforme a lenda dos gregos antigos, Zeus era o governador de tudo o que acontecia no mundo e ficava no Monte Olimpo. Desse modo, a representação da sua figura nas esculturas e pinturas colocam-no num trono ou em pé, ao lado de um raio, de um carvalho, um touro ou uma águia. Os poderes de Zeus residiam no controlo dos fenómenos atmosféricos, fazendo relâmpagos, trovões e lançando chuvas.

Big image

VÉNUS/AFRODITE

Afrodite, na mitologia grega, Vénus, na mitologia romana, é a deusa do amor, da beleza e da sexualidade. É a responsável pela perpetuação da vida, do prazer e da alegria. Na mitologia grega, a versão mais famosa do seu nascimento, contada por Hesíodo, diz que ela nasceu quando Cronos cortou os órgãos genitais de Urano e os atirou ao mar e, da espuma surgida, ergueu-se Afrodite. No entanto, para Homero, anterior a Hesíodo, ela era filha de Zeus e Dione.

Foi obrigada, por Zeus, a casar-se com Hefesto/Vulcano, o deus do fogo, mas o seu descontentamento com o casamento arranjado faz com que procure outras companhias masculinas, na maioria das vezes Ares/Marte.

Afrodite recebeu vários nomes, principalmente porque os seus cultos variavam em cada cidade grega. Recebeu os nomes de Citere ou Citereia e Cípria em dois locais onde o seu culto era célebre.

Afrodite, juntamente com Apolo, representa o ideal de beleza dos gregos antigos. Ela foi constantemente reproduzida nas Artes, da Antiguidade à Idade Contemporânea, dada a oportunidade dos artistas imaginarem uma beleza divina.

Big image

"O nascimento de Vénus", pintura de Sandro Botticelli

Big image

Afrodite e Ares supreendidos por Hefesto, de Alexandre Charles Guillemot, no Museu de Arte de Indianápolis

Big image

MARTE/ARES

Marte na mitologia romana e Ares na mitologia grega é o deus da guerra e guardião da agricultura.

Filho de Juno e de Júpiter.

Marte tem o amor da deusa Vénus e com ela teve um filho, Cupido, e uma filha mortal, Harmonia.

Era uma relação adúltera, uma vez que a deusa era casada com Vulcano.

Big image

Em Os Lusíadas, o poeta Luís Vaz de Camões apresenta Marte como um forte e proeminente defensor do Povo Português que navega pelo Oceano Índico na esperança de concretizar o seu objetivo de chegar à Índia.

BACO/DIONÍSIO

Baco, deus romano, ou Dionísio, deus grego, é o deus do vinho, dos excessos.

Algumas lendas mencionam que a cidade de Nysa, na Índia (atual Nagar) teria sido consagrada a este deus.

As festas em sua homenagem eram chamadas bacanais - a perceção contemporânea de que tais eventos eram "bacanais" no sentido moderno do termo, ou seja, orgias, ainda é motivo de controvérsia.

A pantera, o cântaro, a vinha e um cacho de uvas são os seus símbolos.

Na epopeia Os Lusíadas, de Luís de Camões, Baco é o principal opositor dos heróis portugueses, argumentando no episódio do consílio dos deuses que seria esquecido se os marinheiros portugueses chegassem à Índia.

Big image

NEPTUNO/POSEIDON

Neptuno (deus romano) ou Poseidon (deus grego) é o deus do mar. Este é filho de Saturno e de Ops e originariamente é o deus das fontes e das correntes de água, dos terramotos e criador dos cavalos.

Neptuno não se veste da mesma forma que muitos deuses e deusas pois a sua aparência já demonstra o seu poder. Neptuno tem como morada o mar, podendo nele provocar terríveis tempestades e tormentas.

Neptuno teve muitos amores mas, muitos deles, breves. A sua principal esposa foi Salácia uma nereida. Desta relação entre Neptuno e Salácia resultaram tritões, os seus filhos que eram monstros marinhos com rostos humanos com barba e caudas marinhas.

Big image

Neptuno/Poseidon, deus do mar e criador dos cavalos

Big image

Salácia (nereida), mulher de Neptuno

VULCANO/HEFESTO

Vulcano, Hefesto na mitologia grega, era o deus romano do fogo, filho de Júpiter e de Juno. Era casado com Vénus.

Devido à vergonha de sua mãe, por este ser negro e feio, foi lançado aos mares, mas mais tarde recolhido. Noutras versões, o deus foi lançado do monte Olimpo. Devia a isso a sua deformidade, pois era coxo.

Era representado por um ferreiro e forjava os raios.

Para se vingar dos seus pais, que o tratavam mal, Vulcano fabricou uma cadeira de ouro e, quem se sentasse nela, só se poderia levantar com a sua permissão. Juno, que não conhecia o segredo, sentou-se e Vulcano não quis livrá-la.

MERCÚRIO/HERMES

Hermes, na mitologia grega, ou Mercúrio, na mitologia romana era conhecido como o deus da venda, do mercado e do lucro, mas, sobretudo, como mensageiros dos deuses. Trazia consigo uma bolsa, sandálias, um capacete com asas e uma varinha.

Era filho de Zeus e Maia e os seus irmãos eram Ártemis, Afrodite, Musa, Cárites, Ares, Apolo, Dioniso, Hebe, Atena, Héracles, Helena, Hefesto, Minos, Poro.

PLUTÃO/HADES

Na mitologia grega, ele é conhecido como Hades e, na mitologia romana, como Plutão.

Hades é o deus do submundo e dos mortos e é considerado um deus de segunda geração pois costuma representar um papel secundário na mitologia uma vez que o seu trabalho é dividido entre outras divindades.

Hades é filho de Cronos e Reia e tem cinco irmãos: três irmãs e dois irmãos.

ATENA/MINERVA

Atena, na mitologia grega, e Minerva, na mitologia romana, é a deusa da civilização, da sabedoria, da estratégia em batalha, das artes, da justiça e da habilidade.

Recebeu culto em toda a Grécia Antiga.

Ela é dada como filha de Zeus, nascendo na sua cabeça plenamente armada.

Casou-se ou teve amantes, mantendo uma virgindade perpétua.

Foi padroeira de várias cidades, mas tornou-se mais conhecida como a protetora de Atenas e de toda a Ática.

Foi uma das deusas mais representadas na arte grega e a sua simbologia exerceu profunda influência sobre o pensamento grego.