Naturalismo Diário

a violenta sociedade humana

Polícia prende mãe que batia na filha estuprada por padrasto em Manaus

Prisão da mulher ocorreu menos de uma semana após a prisão do autor do estupro(Euzivaldo Queiroz )

A Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA) apresentou no início da tarde desta terça-feira (20), uma mulher de 26 anos presa na noite desta segunda-feira (19), por suspeita de negligenciar atos de violência sexual contra a filha, uma criança de nove anos.

De acordo com a polícia, Andréa* é acusada de encobrir os abusos cometidos pelo próprio marido contra a menina e também de agredir a criança sob a acusação de que a mesma estaria tentando lhe roubar o marido.

O caso teve início na última semana, quando um vídeo, no qual a criança aparecia sendo estuprada pelo companheiro da mãe da vítima chegou às mãos da delegada titular, Linda Gláucia de Moraes.

Após identificar o autor do vídeo, uma diligência foi à casa do suspeito, no último dia 13 deste mês, e o prendeu. Em depoimento, a criança alegou que o caso teria ocorrido no município de Iranduba, na tentativa de inocentá-lo da acusação.

Intimados a retornar à delegacia no dia seguinte para que a criança fosse ouvida por um psicólogo, os pais não mais apareceram, o que levantou suspeita por parte da delegada. Após deslocar equipes ao endereço da família, foi descoberto que os mesmos haviam se mudado do local para um endereço não informado. Investigações apontaram o local da nova moradia e na tarde desta segunda-feira, 19, os policiais localizaram mãe e filha. A mãe da menor foi presa em cumprimento de mandado de prisão preventiva expedido pela juíza Patrícia Chacon, da Vara de Proteção à Criança, Adolescente e Idoso.

Em depoimento, a suspeita admitiu ter presenciado a criança sendo aliciada, pelo companheiro, mas alegou que não sabia da consumação do ato sexual. A criança, que neste novo depoimento admitiu ser o próprio padrasto que cometia os abusos sexuais, confirmou que a mãe sabia do ocorrido e acrescentou que sempre ao final das relações sexuais, era agredida por ela e que a mesma a acusava de querer roubar seu marido.

A Delegada Linda Gláucia confirmou que a omissão da mãe contribuiu significativamente para que a criança fosse vitimizada. ”A mãe está sendo presa por essa omissão, visto que ela tem o dever legal de zelar pelo bem estar de sua filha, o que não estava sendo feito”, explicou a delegada. Andréa* será encaminhada à Cadeia Pública

Obs.:

Muitas das características do naturalismo podem ser percebidas na noticia, como o instindo animal , loucura, violência ( a mãe bater na filha) desejos humanos( pai abusando sexualmente da filha).


Pai mata filho a facadas e fere vizinhos no Recife

Um pai matou a facadas o filho de 4 anos e feriu quatro vizinhos na comunidade Beira Rio, no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, no último sábado (25). Danilo Henrique dos Anjos, 4 anos, morava com a mãe, que estava separada do auxiliar de pedreiro Thiago José Pereira, há 3 anos. De acordo com a irmã do acusado, ele e o menino não tinham muito contato e, depois da separação, o homem entrou em depressão e começou a usar drogas. Tiago já teria dito várias vezes que iria matar a ex-mulher, e a família dele acredita que o assassinato da criança possa ter sido premeditado. O crime aconteceu depois que Thiago foi à igreja. Ele teria voltado e agressivo e deu 14 facadas no filho. Em seguida, tentou invadir uma igreja evangélica onde acontecia uma festa e agrediu duas mulheres que estavam na frente do tempo. Depois, ainda esfaqueou um homem e uma mulher que estavam na rua. A população, revoltada, agrediu o homem. O menino Danilo Henrique foi enterrado nesse domingo (26), no Cemitério de Santo Amaro. Já Thiago José está internado no Hospital da Restauração sob custódia policial. Quando receber alta, ele será encaminhado ao Cotel, em Abreu e Lima.

Obs.:

Nesta noticia podemos identificar características do naturalismo como a violência (quando o Thiago mata o próprio filho e fere duas mulheres que estavam em seu caminho) e loucura (quando ele entra em depressão após a separação e começa a usar drogas ).