Naturalismo e Realismo

Naturalismo

O Naturalismo foi uma radicalização do Realismo. Dentre suas características, pode-se citar a o cientificismo exagerado, transformando o homem e a sociedade em objetos de experiências, a vontade de reformar a sociedade, linguagem simples e o uso de temas como desejos humanos, instintos, loucura, violência, traição, miséria, exploração social, etc.


No teatro, o Naturalismo provocou mudanças como o surgimento de funções como diretor, figurinista e cenógrafo. A sonoplastia foi adotda e a iluminação passou a ser mais estudada.

Homem tenta matar o sogro por causa de um prato de comida


O mecânico Flávio Ferreira Barros, 34 anos, foi atingido por um tiro no tórax


O mecânico Flávio Ferreira Barros, 34 anos, por pouco não foi morto pelo genro, na madrugada desta sexta-feira (19), em Lagoa Jacaraípe, na Serra, por causa de um prato de comida.

Flávio chegou em casa – que divide com a enteada e o companheiro dela, Caio Jesus de Oliveira, 22 –, por volta de 23h30. Ele se dirigiu à cozinha para jantar, quando notou que o genro estava raspando as panelas.

Irritado com o fato, o mecânico se armou com um facão e ameaçou Caio, dizendo que “se ele não comesse a comida toda e jogasse alguma coisa afora, teria a língua cortada fora por ele”. Depois da ameaça, Flávio saiu de casa para atender um cliente, na oficina.

Caio não gostou da conversa: depois de jantar, se armou com uma escopeta calibre 12 e foi atrás do sogro. Ao chegar na oficina, apontou a arma para Flávio, que se jogou no chão e foi atingido no tórax. Caio fugiu em seguida.

Policiais militares socorreram Flávio e o levaram para o Hospital Dório Silva, onde ficou internado durante todo o dia e teve alta no final da tarde.

Os investigadores da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) conversaram com a enteada dele e receberam a informãção de que Caio é foragido da Justiça de São Mateus, no Norte do Estado, e que já cumpriu pena por tráfico de drogas.

O caso será investigado pela Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) da Serra.


19/04/2013

Gazeta online


Comentários

Qando pensamos em Naturalismo, logo nos vem a mente o extremo do ser humano, ele agindo como bicho. Vemos nessa reportagem um exemplo disso. O homem, ao tentar matar o sogro, fugiu do comportamento humano aceitável.

Muitas pessoas, ao analisar um caso semelhante, dizem quase que instantaneamente que uma pessoa que comete tal ato merece pena de morte. Porém, antes de fazer essa afirmação, deve-se analisar os possíveisr fatos que contribuiram para que isso acontecesse. Podemos dizer que a sociedade e tudo no meio em que ele viveu cumprem um grande papel na formação da personalidade de Caio Jesus de Oliveira.

É necessário analisar os fatos antes de simplesmente condená-lo a morte ou algo do tipo. Todos temos um pouco desse "bicho" dentro da gente.

Realismo

Movimento artístico que se manifesta na segunda metade do século XIX. Caracteriza-se pela intenção de uma abordagem objetiva da realidade e pelo interesse por temas sociais. Nele, o personalismo e o sentimentalismo têm seus lugares ocupados pelo universalismo e pelo materialismo.


No teatro, com o Realismo, os problemas do cotidiano passam a ser retratados, com uma linguagem coloquial. Além disso, personagens do dia-a-dia substituem o herói românico, surgindo aí o "herói burguês".

Entenda o caso da morte da menina Isabella Oliveira Nardoni

No final da noite de 29 de março, a menina Isabella Oliveira Nardoni, 5, foi encontrada caída no jardim do prédio em que o pai mora, na zona norte de São Paulo. Ela estava em parada cardiorrespiratória. O Corpo de Bombeiros foi acionado e tentou reanimar a menina por 34 minutos, sem sucesso.

O pai de Isabella, Alexandre Nardoni, 29, e a madrasta, Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, 24, foram levados ao 9º DP (Carandiru) para prestar depoimento, logo após a constatação da morte da garota. Isabella vivia com a mãe, porém visitava o pai a cada 15 dias.

Em depoimento, o pai afirmou que, naquela noite, chegou ao edifício de carro, com a mulher e os três filhos dormindo. Ele disse que levou Isabella para o apartamento, colocou a menina na cama e a deixou dormindo, com o abajur ligado, para voltar à garagem e ajudar a mulher a subir com os dois filhos do casal.

Conforme a versão de Nardoni, quando ele voltou ao apartamento, percebeu que a luz do quarto ao lado do de Isabella, onde dormiam os irmãos dela, estava acesa; que a grade de proteção da janela tinha um buraco; e que a menina havia desaparecido. Em seguida, ele disse ter percebido que o corpo da menina estava no jardim.

Naquela ocasião, Nardoni disse suspeitar que a filha tivesse sido atirada do sexto andar do prédio por algum desafeto seu. Um pedreiro, com quem o pai de Isabella havia discutido cerca de um mês antes sobre a instalação de uma antena de TV, chegou a ser ouvido, mas o envolvimento dele no caso foi descartado.

IML

Peritos do IML (Instituto Médico Legal), ao analisarem o corpo da menina, acharam lesões incompatíveis com a queda. Surgiram, então, suspeitas de que Isabella tivesse sido agredida antes de cair da janela ou mesmo que ela não tivesse caído, mas sido deixada no jardim, depois de espancada.

Nenhuma das duas hipóteses será confirmada enquanto o laudo conclusivo da necropsia não for divulgado.

Prisão

O delegado Calixto Calil Filho, do 9º DP, responsável pela investigação, ouviu mais de dez pessoas antes de pedir que a mãe de Isabella, Ana Carolina Cunha de Oliveira, 23, prestasse depoimento. Oliveira chegou ao 9º DP por volta das 10h30 do dia 2 de abril, e saiu por volta das 14h30. Poucas horas depois, o pedido de prisão temporária contra o pai e a madrasta da menina foi protocolado na Justiça de São Paulo.

O juiz Maurício Fossen, da 2ª Vara do Júri do Fórum de Santana, decretou a prisão dos dois, por 30 dias. Decretou também sigilo sobre as investigações. Os motivos da prisão, portanto, não puderam ser divulgados.

da Folha Online


03/04/2008-08h39


Comentários

Familias "normais", muitas vezes, sofrem por causa de desastres, porém, ninguém imagina que esse tipo de acidente pudesse acontecer com pessoas de classe media alta. Anna Carolina Trotta, madrasta de Isabella, por ciúmes, induz seu marido à cometer o assassinato de sua enteada. Foi tudo um caso pensado detalhadamentem, sem o envolvimento de sentimentos.