Basquete

Trabalho de Educação Física

Introdução

• História do basquete

Em 1891, nos Estados Unidos, o professor de Educação Física, James Naismith, criou o basquete. O primeiro jogo registrado ocorreu um ano depois, no dia 20 de janeiro.

• Principais competições

A cada 4 anos, ocorre o Campeonato Mundial de Basquete, realizado pela FIBA, reunindo as seleções nacionais de basquete. O campeonato masculino acontece desde 1950, e o feminino, desde 1953. Aproximadamente, 48 países participam desse torneio.

• Basquete no cenário esportivo mundial

Os países com maior número de praticantes são Estados Unidos, Brasil, Argentina, Iugoslávia, Espanha, Grécia, Rússia, entre outros. As competições mundiais atraem o interesse de grande parte da população, principalmente quando divulgadas por alguma imagem importante do esporte.

• Basquete e o mercado de trabalho

A National Basketball Association (NBA) é a principal liga de basquete profissional da America do Norte, sendo uma das quatro maiores. O profissionalismo é introduzido a partir da educação básica e superior dos atletas, que são escolhidos em uma seleção rígida feita pelas universidades americanas. O modelo autônomo e a forma das competições realizadas é considerado um dos mais respeitados pelo mundo, incentivando os jogadores de basquete a se igualarem e tentarem trabalhar para os times da liga. Com o incentivo a querer trabalhar/participar da NBA, vários atletas brasileiros se esforçam para serem convocados. Entre os que conseguiram participar da liga, estão: Leandrinho Barbosa, Nenê, Tiago Splitter e Anderson Varejão.

Tecnologia no esporte

No início das competições, para chegar ao pódio, não era preciso de muita coisa. O talento do atleta e sua paixão eram suficientes, mas com o passar do tempo, tudo foi se aprimorando tanto no trabalho e cotidiano das pessoas, quanto no esporte. O ouro fica cada vez mais distante, pois quem compete agora não são mais os atletas, dependendo também do estudo contínuo das equipes.

Os pesquisadores por trás dos atletas estão sempre aprimorando o esporte por meio de tecnologias e gerando novidades para os que irão competir, e criando produtos para a sociedade. Com isso, pessoas muitas vezes talentosas e apaixonadas pelo esporte, não conseguem chegar ao pódio pelo fato de não terem acesso as novas tecnologias do mercado esportivo. Assim, restringindo as competições esportivas para uma elite financeira.

Apesar de suas desvantagens, a tecnologia traz muitos benefícios ao esporte. Maiôs especiais dão mais mobilidade aos nadadores, enquanto sistemas eletrônicos auxiliam técnicos de esgrima e judô a darem um resultado mais justo. No basquete, uniformes mais leves melhoram a condição do corpo do atleta durante o jogo, e câmeras filmam as partidas para ser possível a retirada de dúvidas sobre a decisão dos árbitros. Um aparelho denominado "Digital Scoresheet" é um exemplo disso. Ele filma o jogo de Basquete de vários ângulos e, dessa forma, permite o juíz principal decidir justamente o que fazer.

Regras do Jogo

Regras do Jogo: Basquete

Lance Livre - exemplo

Basquete -Lance Livre

Basquete e tecnologia - Prática

Objetivo

Analisar a contribuição da tecnologia no esporte, neste caso, no basquete. Produzir filmagens e fotos para compreender e analisar os movimentos de arremesso no basquete (lance livre).

Metodologia

Três integrantes do grupo foram escolhidos para a execução da atividade. Cada um dos três arremessou dez com tudo sendo registrado pelos demais integrantes. Os registros foram analisados e detectamos falhas na execução dos movimentos. Novamente na quadra, os alunos fizeram dez novos arremessos corrigindo as falhas com o intuito de um melhor desempenho.

Yasmin

Basquete análise 2°B

Carolina

Basquete anáise 2°B

Bruno

Basquete análise 2°B

Análise

Yasmin

Dia 1) A aluna acertou os arremessos 3 e 4. Pernas paralelas, a direta um pouco na frente, braços dobrados e na hora do arremesso, esticados, apenas o punho dobrado. Percebemos que quando os punhos ficaram dobrados por mais tempo, foi o momento em que ela acertou os arremessos.

Dia 2) Como a aluna tem um pouco mais de prática no esporte, corrigindo alguns erros como posicionamento e prolongação do pulso dobrado, seu rendimento melhorou, acertando os 3º, 4º, 5º e 7º arremessos.


Carolina

Dia 1) A aluna não acertou nenhum arremesso. Faltou dobrar os braços antes do arremesso e dobrar o punho durante. Porém possui força e boa mira, o que é positivo para um bom arremesso, as pernas estavam posicionadas corretamente.

Dia 2) A aluna não tem muita experiência com o esporte, porém não sentiu muitas dificuldade em utilizar as técnicas, pois possui força para arremessar, melhorando seu rendimento. Acertou os 3º e 6º arremessos.


Bruno

Dia 1) O aluno não acertou nenhum arremesso. Faltou força, melhor posicionamento das pernas e esticar mais os braços e o punho.

Dia 2) O aluno também não possui experiência com o esporte, encontrando dificuldades ao posicionar o braço corretamente e colocar força no arremesso. Mas conseguiu acertar o 6º arremesso.

A diferença de arremessos entre os alunos é causada pelo seguinte fato: a aluna que obteve melhor desempenho, ja teve contato com o esporte; os outros, não tiveram, ou se tiveram contanto foi em um curto período de tempo, dificultando a prática com o basquete. Além do posicionamento, força, mira foram relacionados outros aspectos de como realizar um bom arremesso.

Conclusão

Depois da observação dos vídeos do primeiro dia de arremessos, conseguimos analisar melhor as técnicas, movimentos e dificuldades existentes de cada aluno. Com a nova execução, os alunos tentaram colocar em prática as técnicas corretamente, conseguindo melhorar seu movimento e, consequentemente, o número de arremessos. Concluímos, então, que a utilização da tecnologia no esporte pode melhorar o rendimento do atleta.

Dia 1 - fotos

Dia 2 - fotos

Grupo

Bruna Tavares - 05

Bruna Toscano - 07

Bruno Gotti - 08

Carolina Morimatsu - 13

Emanuela Neves - 20

Yasmin Kalume - 47

Fonte

Imagens
Vídeos

Colégio Marista de Brasília - Ensino Médio