Tecnologia da Informação no Esporte

Os benefícios das TICs no basquete

A partir do momento em que a ciência se ocupa em estudar o corpo humano e seus limites, inovações são criadas para que se possa melhorar o desempenho antes conseguido, para ir além do corpo humano. Um bom exemplo disso é o abolido uniforme de natação, que melhorava o desempenho dos nadadores olímpicos e culminou na quebra de recordes antes conseguidos pelo nosso corpo. Assim, a pesquisa de novas tecnologias provém da vontade de quebrar recordes, de melhorar, de conseguir o que antes não se conseguia. Mas também há outro lado da história. A tecnologia facilita o melhoramento do corpo, assim como de como se organiza e estrutura o esporte. Utilizando novamente a natação como exemplo, antes da placa de pressão que se pressiona ao final da “corrida”, não havia como distinguir milésimos de segundos.

Quanto ao basquete, essas tecnologias chegaram ao esporte em praticamente todo aspecto do jogo. Com três exemplos pode-se verificar isso. O primeiro deles é o uniforme. Não apenas no basquete, tecnologias de maior leveza, flexibilidade e outros estão sempre surgindo nos novos uniformes. Em segundo lugar, o sistema de arbitragem vem sendo aprimorado, como pelo “Digital Scoresheet”, que faz com que a arbitragem seja mais precisa no que diz respeito ao tempo. O terceiro é o estudo do corpo humano, que possibilitou que, a partir de máquinas, se determinasse do que o corpo precisa e no que ele pode melhorar, quais os exercícios que se pode fazer, dentre outros. Este exemplo é muito importante, pois passou a ser aplicado em todo tipo de esporte, passando posteriormente para as atividades e exercícios físicos. Esse estudo do corpo (que levou ao melhoramento de habilidades em jogos, como no arremesso do basquete) é o que nos permite ter hoje dietas e recomendações médicas para sermos mais saudáveis. Por isso, percebe-se que as tecnologias influenciam diretamente tanto no esporte quanto no nosso dia-a-dia, inclusive com fins salutares.


Big image