Direitos Invioláveis

Fernando, Tainá, Isabella, Laura, Maria Clara e Natália - 1E

Vídeo Oficial da Campanha

Campanha contra violência Maristão 2013 - 1º ano E

Cartaz de Divulgação de Campanha

Feito por: Fernando Bueno


Fonte da imagem principal: portaldeangola.com

Acessado em: 7/8/2013

Logotipo da Campanha

Logo original de campanha

Pré-Projeto de Campanha

Justificativa:


Notando-se a necessidade de promover o inciso III do Artigo 5º da Constituição Federal demonstrando que a segurança é um direito garantido e que todo e qualquer tipo de violência é crime, essa campanha torna-se pertinente. Uma vez que para desfrutar de um futuro mais justo e igualitário, é preciso trabalhar uma consciência ética e moral hoje.


Objetivo Geral:

Criar consciência nos jovens sobre violência defendendo a ideia de respeito mutuo de todos para todos tendo sempre em mente plantar essa consciência para gerações futuras.


Objetivos Específicos:

1- Criar consciência no público jovem de que vivemos em uma sociedade violenta e que isso deve mudar.

2 - Defender a ideia de respeito mutuo entre todos os cidadãos.

3 - Plantar a consciência nos jovens de hoje tendo em vista a conservação da moral das gerações futuras.


Estratégias:

Promoveremos a campanha das seguintes maneiras:

1- Criação de uma logo marca representativa, apresentada em todas as peças e veículos utilizados na divulgação;

2 - Utilização das redes sociais como principal meio de divulgação, como facebook, twitter, dentre outros;

3 - Distribuir cartazes, panfletos na frente de estabelecimentos de público jovem.

Artigo 3º da Declaração Universal dos Direitos Humanos


"Ninguém deverá ser submetido à tortura ou tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.''



Insiso III do Artigo 5º da Constituição Federal Brasileira

"Ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante"


Tortura nos dias de hoje

9 - 15 - 19 - 26 - 33 - 38


Quando se trata de tortura a maioria das pessoas pensa em torturas vistas em filmes, que só acontecem em guerras feitas para extrair algum tipo de informação, mas a verdade é que qualquer atitude que possa ser considerada um castigo cruel ou degradante ao ser humano como uma mãe bater em um filho, um homem estuprar crianças ou um ladrão espancar alguém é um ato de tortura.

Para pessoas que consomem bebida alcoólica e é comum ficar embriagado e fora de si, é necessário uma mudança de atitude, pois esse é o tipo de tortura mais comum hoje onde o torturador está na maioria das vezes sobre efeito de algum tipo de droga, lícita ou não, e comete um ato hediondo. E é inquestionável que sempre se pode evitar, é necessário apenas uma mudança de comportamento e hábitos.

Falando desse tipo de tortura, principalmente por causa de bebidas, é necessário que se façam campanhas de conscientização à população que não incentivam nenhum tipo de consumo, mas não apenas isso, deveria haver uma melhor fiscalização tanto da polícia quanto do governos muito embora essas ações devem ser realizadas por entidades governamentais, então o que se deve ser feito por cidadãos comuns como eu e você? A resposta para essa pergunta é bem simples, são pequenas ações como conhecer o seu limite e os do outros com brincadeiras que envolvam contato físico, saber que quando sair para beber, nunca dirigir por menor que tenha sido o consumo de álcool.

Se as pessoas conhecessem de forma mais aprofundada a Declaração dos Direitos Humanos, teriam uma noção do que é certo e errado muito mais desenvolvida porque é nesse documento que essas informações estão e dizem o que não se pode fazer ao próximo de maneira alguma e mesmo não tendo força de lei, gera uma consciência indireta.

Sem uma ação de todos não será possível mudar as coisas, por isso todos devem se ajudar a entender e desenvolver essa consciência juntos buscando um futuro melhor e um censo comum dos próprios direitos mais aprofundados ou pelo menos difundidos.

Popplet sobre Direitos Humanos e sobre o Art 5º da constituição.

http://popplet.com/app/index.php#/1095402


Fernando Bueno, Tainá Ramos, Laura Kuser, Natália Mendes, Isabella Colombari e Maria Clara Castillo.

Campanha contra maus-tratos às crianças trás uma nova perspectiva do assunto

Human Rights Violation Popplet

Fernando Bueno, Laura Kuser e Thaís Filgueiras

Human Rights Violation Popplet #2

Tainá Ramos, Isabella Colombari e Natália Santos

Human Rights Violation Popplet #3

Maria Clara, Melina e Luana