Grotesco e Belo

O que é o grotesco:

O grotesco atualmente pode ser definido como averso à opção de estética formada pela sociedade. Ele é um dos meios em que a arte e a literatura usam para ajudar a quebrar uma realidade criada pelos padrões estéticos do meio em que se vive. A figura grotesca vai além da identificação do disforme e do monstruoso. O termo deriva de grotta – gruta - no século dezesseis na Itália, através de escavações, descobriu-se pinturas ornamentais, primeiramente usada para designar aquele tipo de arte ornamental, a palavra grotesco ganharia definições mais amplas à medida que teóricos e filósofos detectavam, na literatura, aspectos ligados àquelas representações plásticas. Nestas pinturas existiam arabescos – ramos de plantas de onde brotavam figuras humanas e animalescas. No modernismo e pós, o grotesco tem grande papel, aparece por toda parte, de um lado cria o horrível, abismal, o deformado, do outro o cômico, o ridicularizado.

Big image
Big image
Big image

Diferença entre o Belo e o Grotesco:


O Belo nada mais é do que, uma simetria somada a padrões pré-estabelecidos. Ou seja, o conceito de Belo se alterou no decorrer da história humana, logo, definir o Belo com precisão é impossível. O belo seja o natural, como o artístico é sempre agradável. Na época das luzes, o belo ganhou toda claridade e magnitude. Já com Kant, - considerado por muitos o pai da estética -, define a estética como “o objeto de uma complacência, que acompanha o julgamento de um objeto, ou um modo de apresentação”.

Big image
Big image