Juventude

Doenças sexualmente transmissíveis

Incidência das doenças sexualmente transmissíveis

A incidência das doenças sexualmente transmissíveis tem alcançado níveis perturbadores em muitos países. A presente situação se deve, não ao desconhecimento das patologias ou seu manejo, mas ao uso de técnicas inadequadas e controle epidemiológico, sanitário e de educação sexual. A grande atenção, dada atualmente as DST, em muitos países, e resultado do aumento da prevalência destas doenças e de seus efeitos adversos (AU).

http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=94703&indexSearch=ID

Livro "Depois daquela viagem"

O livro é uma auto - biografia sobre a autora que com 16 anos contraiu o vírus HIV e tem que aprender a lidar com a doença em um período de muito preconceito envolvendo a doença. Com dúvidas de como será a sua vida a partir do momento em que foi diagnosticada ela passa a questionar o real motivo da sua existência. Viaja para diversos lugares em busca de quem realmente é e uma forma de viver "normalmente".

Depoimento

"Descobri que estava contaminado há oito anos. Mas nunca tive problema de saúde. A minha mulher ficou doente logo e acabou morrendo. Hoje, cuido sozinho das minhas duas filhas de 14 e 15 anos. Como bom pai de adolescente, levo a festinhas e ao cinema do Pier 21. Elas sabem de tudo e lidam com naturalidade. Sou professor universitário e pesquisador. Faço questão de almoçar e passar as noites com as meninas. Tenho uma secretária em casa, mas sei lavar, passar, pregar botão. Namoro há um ano. Antes de começarmos, já sabia tudo sobre mim. Mesmo assim, no começo, foi difícil. Nos finais de semana, descansamos na chácara, tomo a minha cervejinha, vou ao Café da Rua 8, Cine Brasília e, de vez em quando, nos bares copo-sujo perto de casa. Penso que morrer todos nós vamos. Mas me preocupo em viver."

Rafael, 51 anos - Brasília

http://www.aids.gov.br/noticia/depoimentos-historias-de-quem-convive-com-aids