Basquete

O Basquete nos Dias de Hoje

Surgimento:

O basquetebol foi criado por James Naismith, professor de Eduação Física, no ano de 1891, nos Estados Unidos. Esse esporte chegou ao Brasil por meio do norte-americano Augusto Shaw em 1896, mas não foi muito aceito pela populção masculina, pelo motivo de que houve uma grande aceitação pelas mulheres. Foi somente aceito em 1912, através do Professor Oscar Thompson.

Em contato com o mundo:

O órgão responsável pelos Campeonatos Mundiais de Basquetebol é a FIBA. A primeira edição do torneio foi realizada em 1950 na Argentina, mas ocorreu apenas o torneio masculino, já o feminino ocorreu em 1953. A FIBA foi quem definiu as regras internacionais do basquetebol. Ela está organizada em cinco zonas continentais, a FIBA África, FIBA Américas, FIBA Ásia, FIBA Europa e FIBA Oceania, significando que ela está presente nos cinco continentes do mundo, além de contar com 215 associações nacionais federadas. Além de uma forma de diversão, o basquete também é muito famoso pelos jogos e competições que se estendem por todo o mundo, atraindo muito a mídia pois esporte costuma atrair muitos espectadores. Um exemplo de competição internacional de basquete é a Copa do Mundo de Basquetebol, que é um torneio realizado pela FIBA reunindo as seleções nacionais de basquete, ele é realizado a cada quatro anos.

O Brasil foi o primeiro país da América Latina a praticar o basquete, em 1896.

Localidades:

O basquete em geral, é mais praticado e famoso nos EUA, pois lá, as pessoas tem o costume de jogar desde pequenas, como o futebol no Brasil. Outros países que tem o basquete como um esporte muito famoso são: Argentina, Russia, Lituania, Servia, Turquia, Espanha, China, Croácia e Grécia.

Basquete VS. Futebol

Na relação entre basquete e futebol, não há muita rivalidade, apenas um choque cultural. Em uma parte do mundo, principalmente nos países subdesenvolvidos, há uma predominância de gosto pelo futebol. Com isso, nesses países, principalmente no Brasil, os profissionais do futebol, embora não a maioria, vivem uma realidade muito diferente dos profissionais do basquete. Do mesmo modo, nos lugares mais evoluídos como países da Europa e os Estados Unidos, o basquete é muito mais reconhecido que o futebol, os profissionais ganham excelentes salários e são muito famosos.
10 melhores enterradas - Michael Jordan

O MERCADO:

O mercado de trabalho para o atleta de qualquer esporte depende muito da importância do esporte no país. Por ser um esporte que ainda está crescendo e ainda não é bem reconhecido no Brasil, muitos jogadores brasileiros são levados para jogar no exterior, principalmente na NBA (National Basketball Association), dos Estados Unidos.

O inventor da modalidade, James Naismith, recebeu uma homenagem em 1936, quando o basquete foi incluído no programa das Olímpiadas de Berlim, na Alemanha. Foi ele quem lançou para o alto a primeira bola da partida inaugural.

Tecnologia:

Com o avanço da globalização, a tecnologia está sendo mais utilizada para diversos meios. No esporte não é diferente, ela é utilizada para melhorar, aperfeiçoar e observar a performance do atleta e até da própria modalidade. A mídia influenciou para o avanço do esporte, pois passou a divulgá-lo melhor, consequentemente tornando-o mais assistido e com um maior público.

No basquete, o uso de uniformes que permitem uma melhor transpiração e não grudam no corpo, assim como a utilização de um tênis de cano mais alto que não permitem lesões tão facilmente são exemplos de tecnologias usadas nesse esporte. O solo também é feito de madeira para evitar que os atletas escorreguem na quadra. A mais nova tecnologia do basquete é o uso de um aparelho chamado de “Digital Scoresheet”. Esse aparelho filma o jogo ao vivo e fica sobre a supervisão do árbitro da mesa, assim, quando há um lance polêmico o árbitro principal recorre ao aparelho para ser mais justo com os dois times.

A tecnologia sempre foi vista como um modo de sedentarismo, por fazer com que as pessoas tivessem menos trabalho, como a máquina de lavar, o controle remoto, etc. Mas para a surpresa de muitos a tecnologia passou a ter um papel importante nas atividades físicas, criando-se programas para praticantes de atividades físicas além de aprimorando os esportes. Em diversos celulares, você tem a opção de baixar programas para esse fim. Alguns exemplos são: Nutrabem e Boa Forma, dois aplicativos usados para nutrição e controle de peso. iMuscle iPhone edition e Home Fitness para musculação e treino funcional. Runtastic e Endonomo para corrida, entre outros. Essas atividades muitas vezes são utilizadas para fins salutares, pois elas além de melhorarem suas condições físicas, muitas vezes utilizam maneiras para preservar sua saúde. Assim, com o uso desses aplicativos, é possível perceber como o controle da saúde e mudança de hábitos se tornou parte do dia-a-dia das pessoas devido a sua acessibilidade. Desse modo, percebemos a importância das TIC’s para a garantia da qualidade de vida da população.

Agora é nossa vez: (Parte 1)

Nos vídeos abaixo, são apresentadas três meninas sem nenhuma experiência e instruções no basquete para fazer 10 arremessos e ver quantos elas acertavam.


Trabalho ed. física (Isadora Naves)
Trabalho ed física (Mariana Reis)
Trabalho ed. física (Aline Rizzo)
Na primeira parte do trabalho não tínhamos informações e instruções suficientes para obter um bom rendimento. Por isso observando o vídeo, percebe-se que não se teve um bom resultado.

Agora é nossa vez: (Parte 2)

Depois de analisarmos os erros e acertos, procuramos informações e instruções sobre como se joga basquete.
Trabalho Ed. Fisica- parte 2
MOV03371
Depois de receber as instruções a aluna Isadora Naves conseguiu ter um rendimento melhor. Na Parte 1 do trabalho ela conseguiu fazer 1 (3ª) cesta, já na Parte 2, a aluna conseguiu fazer 4 cestas (1ª 3ª 7ª 8ª). As alunas Mariana Reis e Aline Rizzo manterão o padrão de 1 e 0 acertos, respectivamente.

Análise:

No primeiro dia de arremessos (fotos 1 e 2 horizontal) a aluna Isadora Naves está com as pernas juntas o que está atrapalhando ela na hora de arremessar, fazendo com que ela tente pular para ter mais equilíbrio.

No segundo dia (fotos 3 e 4 horizontal) é possível observar que a aluna teve um melhor posicionamento tanto nas suas pernas fazendo com que ela não tentasse pular, quanto em um melhor posicionamento na hora de segurar e arremessar a bola.

No primeiro dia, Mariana mesmo com os pés posicionados corretamente, no momento ela teve um desequilíbrio ao arremessar a bola.
No segundo dia, ela melhorou sua performance no arremesso. Porém, para que ela tivesse uma maior chance de acerto, suas duas mãos deveriam segurar a bola.
No primeiro dia (fotos 1 e 2 horizontal), pôde-se perceber o arremesso feio da aluna Aline, o que fez com que a bola perdesse muito impulso antes de entrar na cesta.

No segundo dia (fotos 3 e 4 horizontal), sua melhora foi significativa. Ela segurou a bola com as duas mãos e deixou as pernas um pouco mais afastadas na hora do arremesso, o que retratou seu melhor desempenho.

Aline Rizzo 3; Daniela Perna 17; Isadora Cardoso 24; Isadora Naves 25; Laís Fortes 32; Mariana Reis 39; Natália Marinho 41.

Segundo ano "B"