Basquetebol

Um dos maiores esportes da sociedade contamporânea

Introdução

O basquetebol foi criado por James Naismith, um professor de educação física na Associação Cristã de Moços de Massachussetts, nos Estados Unidos. Ele recebeu a tarefa de inventar um esporte que pudesse ser praticado em um ambiente fechado, devido ao rigoroso inverno. O primeiro jogo foi realizado em 20 de Janeiro de 1892. Respeitando as regras do jogo, o propósito é conseguir passar a bola pela cesta do time adversário mais vezes, marcando mais pontos. Mas como esse esporte veio parar no Brasil? O norte-americano Augusto Shaw, ao ser transferido para o Mackenzie College, em São Paulo, trouxe uma bola de basquete, contudo demorou um pouco até que o esporte fosse adotado no Brasil. Inicialmente, o basquete era muito praticado pelas mulheres, atrasando a sua popularização entre os meninos, além de ser um pouco ofuscado pelo imenso sucesso do futebol na época.

O Basquete é um esporte muito praticado hoje em dia e fortemente presente no cenário esportivo mundial. Diversos campeonatos ratificam a importância desse esporte. Entre eles estão: as Olimpíadas, o Campeonato Mundial de Basquete, o norte-americano NBA (National Basketball Association), Euroleague Basketball na Europa, no Brasil a NBB (Novo Basquete Brasil), entre outros. Considerando as competições mais importantes no mundo de basquetebol, temos um grupo seleto de 21 países: Austrália, Brasil, Bulgária, Canadá, Checoslováquia, China, Coreia, Cuba, Espanha, Estados Unidos, França, Grécia, Itália, Japão, Nigéria, Nova Zelândia, Polônia, Rússia, Senegal, União Soviética e Yugoslávia.

O basquete pode ser considerado esporte-espetáculo. O desenvolvimento tecnológico fez com que este recente fenômeno chegasse ao Brasil, com aspectos da organização da NBA dos Estados Unidos, país com maior popularidade do esporte, e onde foi iniciado esse processo "atrativo", que tornou-o um produto de compra e venda. Isso se deu por causa dos diversos artifícios, como apresentações de dança e música nos intervalos, animadores de torcida, um telão onde as pessoas interagem fazendo "parte do show", etc.

O esporte também tem crescido muito e vem ganhando popularidade no Brasil. Uma forma de popularização do basquetebol é a iniciativa do governo e privada para que as crianças tenham oportunidade de crescimento e treinamento. Porém, muitos atletas brasileiros preferem jogar em outros países onde o esporte tem mais força. Um dos principais destinos desses atletas é os Estados Unidos, onde localiza-se a NBA, umas das principais ligas do mundo. A NBA se formou da junção de duas organizações, a BAA (Basketball Association of America) e a NBL (National Basketball League), contendo atualmente 30 times. Os atletas possuem alta capacidade de competição, sendo essencial que os indivíduos tenham uma boa preparação física e psicológica para que eles tenham o maior rendimento possível.

Curiosidades sobre o basquetebol:

- O basquete é um dos esportes mais praticados no mundo, com cerca de 300 milhões de adeptos.

- O inventor da modalidade, James Naismith, recebeu uma homenagem em 1936, quando o basquete foi incluído no programa das Olímpiadas de Berlim, na Alemanha. Foi ele quem lançou para o alto a primeira bola da partida inaugural.

- A importância da NBA para o universo do basquete é tão grande que ela adota regras próprias para suas partidas.

- Oscar Schmidt, o maior nome da história do esporte no Brasil, afirma ter marcado 49.737 pontos em 1.615 jogos, alcançando uma média de 30,7 por partida (o que lhe garantiria a marca de maior pontuador da história do basquete mundial). Contudo a informação é contestada pela FIBA que desconsidera alguns pontos.

- O recorde de pontos em uma só partida da NBA pertence a Wilt Chamberlain, que atuou de 1959 a 1974 na liga norte-americana e chegou a marcar 100 pontos em um único jogo.

- Até o começo da década de 1990, os Estados Unidos disputavam as competições internacionais com suas equipes amadoras, compostas por atletas universitários. A estréia do time profissional aconteceu em 92, quando os norte-americanos conquistaram medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Barcelona, na Espanha. A equipe, na ocasião, tornou-se mundialmente conhecida como “Dream Team” (Time dos Sonhos, em inglês), pois reunia estrelas como Larry Bird, Magic Johnson, Michael Jordan e Scottie Pippen, entre outros. Essa seleção é até hoje considerada a melhor da história da modalidade.


fonte:http://www.vocesabia.net/curiosidades/curiosidades-sobre-o-basquete/

Uso das TICs nos esportes de alto rendimento

A tecnologia é algo essencial na sociedade hoje, sendo usada em diversos campos. Umas das mais conhecidas são as tecnologias da informação e da comunicação (as TICs), que tem como objetivo de facilitar a comunicação e o conhecimento em diversas áreas. Como exemplo dos campos em que as TICs atuam, podemos citar os esportes, de forma a aperfeiçoar seu treinamento e logo, sua performance.

Diversas empresas e universidades realizam estudos a cerca desse método, uma delas e o Laboratório de Neurociências da UFSC com apoio da FINEP. O grupo de pesquisadores usam jogos tabuleiros e eletrônicos para programar treinamentos específicos como o aumento da probabilidade de acerto em arremessos de cesta no basquete, diminuição do nervosismo e do cansaço, segundo Takase, um dos pesquisadores, “O projeto mostrou que o treinamento mental ajuda na recuperação da fadiga e na performance dos atletas” e acrescentando que “A concentração é uma habilidade treinável, e o exercício mental pode ajudar a superar limitações físicas”.

Como melhorar as chances de acerto no arremesso no basquete?

Passo 1

Primeiramente, filmamos e fotografamos três componentes dos grupo realizando arremessos para estudar o movimento realizado e corrigi-lo, aumentando a chance de acerto.
Tics no basquete - arremesso
Tics no basquete - arremesso 2
Tics do basquete - arremesso 3

Análise


A repetição da habilidade de arremessar lances livres não é suficiente para melhorar o desemprenho, é necessário fundamento, a partir disso, vamos estudar os fundamentos de arremessos de lances livres a fim de corrigir os erros e melhorar a performance dos alunos.


  • Giovanna Rocha (0 de 10 arremessos): o primeiro passo para melhorar o arremesso da aluna é mudando o posicionamento dos pés, que estão paralelos mas é mais recomendável que um esteja um pouco a frente do outro, o segundo ponto é a posição da bola, que está próxima ao peito, e deveria estar acima da cabeça. Outra forma que pode melhorar o arremesso é flexionando mais os joelhos. E por fim, a mão de arremesso deve ficar mais abaixo da bola e estendida durante todo o movimento, e a outra servindo apenas de apoio, ao contrario do observado que ao levantar os braços muito para frente, de forma a desequilibrar o corpo e perder o controle da soltura da bola.


  • Gabriel Alves (2 de 10 arremessos): o aluno teve o melhor rendimento entre os três avaliados. Para melhorar seu índice de acerto, é recomendável a separação das duas pernas, deixando uma mais a frente, e que inicialmente posicione a bola acima da cabeça, não perto do peito como é observado no vídeo. Por último, a mão de arremesso deve permanecer estendida, não flexionada no inicio do movimento como é feito pelo aluno. A posição da empunhadura das mãos se mostrou correta. Assim como a flexão das pernas em amplitude adequada. No entanto, no momento de soltar a bola o aluno perdia o controle da direção e da intensidade.

  • Rafaela Simão (0 de 10 arremessos): assim como os demais, a posição dos pés deve ser um a frente do outro, a posição da bola que deve ser posicionada mais alta (acima da cabeça), o braço do arremesso deve permanecer estendido e abaixo da bola. Outra correção é a empunhadura da bola, que ao lançá-la deve ser flexionada.


Conclusão

O rendimento dos alunos foi muito baixo: entre 0 e 20%. Há que se considerar a inabilidade dos alunos e o fato de não praticarem o basquete e sequer gostarem da atividade. É possível, então, perceber que há diferença na correção do movimento. O único aluno que obteve acertos, poucos, foi aquele cujos movimentos mais se aproximaram de um arremesso tecnicamente correto.

Colocando em prática

Após a observação necessária, foram feitos os ajustes adequados para que os arremessos tivessem maior probabilidade de acertos. Podemos dizer que quando os alunos se posicionam de maneira correta acontece um melhor resultado no numero de lances livres.

Com as modificações feitas, podemos perceber que com a falta de pratica dos alunos não houve o desenvolvimento esperado, ainda sim obtiveram resultados mais significativos do que nos lançamentos anteriores. A Giovanna e a Rafaela de nenhum acerto passou para 2 e o Gabriel de 2 aumentou para 4.

Para podermos observar os movimentos dos atletas, utilizamos tecnologias da informação (TICs) que foram fundamentais para apontar os erros e acertos dos arremessos, possibilitando estratégias adequadas para melhor desempenho dos alunos.

Grupo:

Juliana Luzete - 25

Giovanna Rocha - 12

Gabriel Alves - 09

Rafaela Simão - 37

Naissa Cirqueira - 34

Gabriela Morum - 11

2o ano A