Mundo descolorido

O homem é o que aparenta ser? E faz o que realmente deseja?

Você vê só o que é agradável aos olhos? E o outro lado da história?

Escândalo com Príncipe Harry rendeu R$ 45 milhões a Las Vegas

Príncipe Harry, o mais controverso membro da família real britânica, causou ainda mais polêmica após virem à tona fotos em que ele aparece jogando bilhar completamente nu e cercado de algumas beldades. Entretanto, o escândalo real rendeu bons lucros, só que não para os Windsor, e está sendo calculado um rendimento em torno de R$ 45 milhões.

Segundo um novo relatório emitido pelo Las Vegas Convention and Visitors Authority (LVCVA), o incidente tem dado um grande impulso no turismo da cidade, já que as imagens foram vistas por um número estimado de 154 milhões de pessoas.

Segundo o site TMZ, o presidente da associação, Tom Collins, declarou estar extasiado com os números e chegou a agradecer a atitude do príncipe durante uma reunião do conselho de diretores: "Deus abençoe o Príncipe Harry. Sua atitude nos rendeu rios de dinheiro", reportou o site.

Ainda não se sabe com precisão quanto o escândalo gerou de renda, mas oficiais já afirmam que, com toda a certeza, teve um impacto positivo na economia local.

O Príncipe Harry está no Afeganistão depois de ter sido alocado para uma temporada de quatro meses em Camp Bastian, na província de Helmand. No mês passado, Harry - conhecido no exército como Capitão do País de Gales - foi movido para um local seguro durante um ataque Talibã na base em que estava. Ele já havia passado 10 semanas em serviço na região em 2007 e 2008, mas foi mandado de volta para o Reino Unido após a mídia divulgar seu paradeiro.


FONTE: TERRA

Acessado em: 23/05/2013 às 11h48min

Disponível em: http://diversao.terra.com.br/gente/escandalo-com-principe-harry-rendeu-r-45-milhoes-a-las-vegas,0d0a765fb6a1b310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.htmlhttp://diversao.terra.com.br/gente/escandalo-com-principe-harry-rendeu-r-45-milhoes-a-las-vegas,0d0a765fb6a1b310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html

Escândalo em Las Vegas

Outros escândalos

A realidade

As famílias reais sempre foram vistas como um modelo idealizado, sem cometer erros e sempre mantendo discretamente sua vida particular. A maioria dos integrantes da realeza consegue ser correta e discreta, mas alguns acabam cometendo alguns deslizes, como o príncipe Harry que, como exemplo apresentado na reportagem acima, teve várias recaídas em sua juventude, decepcionando sua família e o povo inglês. Muitas vezes o assessor da família tentou abafar o acontecido, mas não obteve muito sucesso por existirem muitas fotos e até mesmo vídeos. Talvez Harry, assim como vários outros personagens da realeza ao longo dos séculos, tenha se comportado de forma rebelde pois sua vida é envolta em padrões que determinam suas atitudes, já que deve-se manter a imagem de possuírem a característica inatíngivel, a perfeição. Viver sob regras que limitam seu comportamento de forma a evitar e esconder os possíveis erros cometidos para alimentar a utopia da perfeição é frustrante e esta frustãção acaba por ser extravasada em algum momento, no caso de Harry em Las Vegas. Esta ideia de que uma pessoa, família ou instituição têm uma vida perfeita, por esconder o que realmente esta acontecendo para moldar uma imagem idealizada frente a outras pessoas, é desvendada e nos dias atuais chega até a realeza, rompendo com o principal ideal de perfeição dos relacionamentos: a família real.

Natural ou animal?

Homem que abusou da filha por 17 anos e teve 7 filhos com ela é preso

Um agricultor acusado de abusar sexualmente de sua filha, com quem teve sete filhos, ao longo de 17 anos foi preso hoje no Maranhão.

José Agostinho Bispo Pereira, de 54 anos, abusava da filha Sandra Maria Moreira, de 29 anos, que mantinha reclusa, desde que a sua esposa e mãe de Sandra abandonou a família e foi embora de casa, quando a menina tinha 12 anos.

O preso, que alegou não saber que incesto é crime, vivia com sua filha e seus filhos-netos em uma ilha chamada Experimento à qual só é possível chegar de barco a partir do município de Pinheiro, a 340 quilômetros de São Luís.

O caso, similar ao do austríaco Joseph Fritzl - que abusava da filha Elisabeth e a manteve presa por 24 anos -, foi denunciado por um anônimo.

Aparentemente, vários habitantes de Pinheiro sabiam do que acontecia na casa de Pereira, mas foi só no dia 21 de maio, quando o Ministério Público, o Conselho Tutelar e a Polícia do município organizaram uma manifestação contra os abusos infantis, que alguém decidiu denunciá-lo.

A Polícia chegou até a ilha em três barcos e descobriu seis dos sete filhos-netos, com idades entre os dois e os 12 anos. A filha menor, de dois meses de idade, tinha sido dada em adoção para outra família.

A Polícia informou que há indícios de que a maior das filhas-netas, de sete anos, também sofreu abusos de seu pai-avô, e suspeita que a outra menina, de cinco anos, igualmente pode ter sido estuprada por Pereira.

As seis crianças nunca saíram da ilha, não sabem ler nem escrever e vivem em condições de abandono, enquanto um deles, de oito anos, é surdo-mudo, provavelmente por problemas de consanguinidade.

A Polícia suspeita que a mulher não foi a única filha estuprada e está procurando a sua irmã, que também teria ficado grávida de Pereira mas que fugiu com seu filho da ilha.

Da mesma forma que sua mãe, os filhos-netos foram enviados a um albergue para receber assistência social e psicológica.

Segundo a chefe da Delegacia da Mulher de Pinheiro, Adriana Meireles, o agricultor será acusado de estupro, abandono material (pelas condições em que as crianças viviam), abandono intelectual (porque nunca receberam educação) e cárcere privado.


FONTE: UOL Notícias

Acessado em: 23/05/2013 às 11h46min

Disponível em: http://noticias.uol.com.br/ultnot/efe/2010/06/09/ult1807u56268.jhtm

A natureza dos homens

Todos os dias são noticiados casos de violência física, moral e sexual. Esta conduta frequente do homem é caracterizada pela irracionalidade e pelos atos instintivos. José Agostinho Bispo Pereira ao trancafiar sua filha e abusá-la sexualmente e posteriormente repetir tal brutalidade com suas filhas-netas, foi contra as normas e princípios sociais, agiu como um animal e não como um ser humano. Será que seu comportamento grotesco é fruto de sua baixa escolaridade e renda ou José Agostinho é apenas mais um dos homens que ignoram as regras para um bom convívio deixando de lado o pudor e agindo segundo seus desejos mais primitivos? Será que as regras sociais podem/são realmente vivenciadas ou são apenas uma fachada? Vemos que o homem é um produto do meio que vive e sob o qual age. Neste contexo há constante busca pela sobrevivência, pois apenas os fortes sobreviverão. Talvez José Agostinho buscasse por meio da sua força uma autoafirmação, o respeito por meio do medo, ou ainda sentir-se o “macho-alfa” entre as mulheres do seu círculo familiar. O que é realmente relevante nesta análise é a recaída do homem racional ao homem animal e institivo que existe e aparece repetidamente ao longo de toda a história.

Integrantes do jornal

Ana Luísa Falcomer (nº 4)

Bárbara Soares (nº 9)
Carolina Sartori (nº13)

Ludmila Boaventura (nº 27)

Luíza Brito (nº 28)

Maria Luiza Porto (nº 31)

Paula Ferreira (nº 33)

Marcela Maluf (nº 42)


Big image