Medo

O porquè de ter medo

Há quem diga que o medo é um instinto de sobrevivência: ao termos medo, sabemos que há algo que o nosso corpo identificou como uma ameaça.

Há quem diga que o medo é uma fraqueza: temos medo quando não temos coragem.

Confesso-me mais inclinada para a segunda via. Acho que o medo é falta de capacidade de enfrentar algo, de racionalizar a nossa relação com algo. Mesmo que esse algo seja desagradável.

O medo domina muitas das nossas acções. E muitas vezes justifica, por si só, uma reacção, como se fosse um substantivo. Que, apesar de o ser, não devia. Devia ser um adjectivo.

Não viajas com o teu bebé porque tens medo.

Não desistes do teu trabalho porque tens medo.

Não acabas uma relação porque tens medo.

Não começas o teu projecto profissional pessoal porque tens medo.

Eu confesso que também tenho vários medos. Mas tenho um que move todos os outros: tenho medo de viver com medo.

Quando se é mãe/pai pode aumentar todos os medos. Ficar desempregado também.

Mas o medo de não viver é maior. E o medo ainda se pode transmitir aos filhos.

Na esperança que assim escolha plantar sonhos no lugar do medo.

Diogo Vilela turma 9ºD nº 9