Riqueza

''ser é mais importante do que ter''

Sempre ouvi dizer que o ser humano era um longo processo de desenvolvimento, que todos os dias alterações surgiam na nossa pessoa e que pensamentos novos atacavam a nossa mente. Que todos os dias conhecimentos e novos horizontes são criados para nos guiar como pessoas, para nos formar como pessoas. Também me recordo de me contarem que o humano era o que era por tudo a que era exposto. Que nós éramos um pouco de tudo aquilo que víamos, ouvíamos, líamos, sentíamos. E agora se coloca a minha derradeira questão…porque é que o dinheiro (ou a falta dele) nos irá impedir de nos contruirmos?

O dinheiro que nos exigem para conhecermos um novo país, país aquele com novos lugares aos que estamos habituados, novos sabores que as nossas bocas deveriam ser todas habilitáveis a provar, novos cheiros que o nosso nariz mereceria alcançar e guardar…novas culturas que iriam ensinar-nos uma nova vida, que iriam fazer-nos crescer e aprender. Porque querem cobrar, seja o que for, para nos formámos como pessoas?

Eu não compreendo, eu não consigo compreender simplesmente, a necessidade de me pedirem dinheiro para enriquecer a minha cultura, para enriquecer a minha pessoa. Eu não consigo imaginar, eu não quero imaginar sequer, todas as pessoas que, impossibilitadas, ficarão toda a vida presas na sua cidade de origem, aguardando que um dia lhe alarguem os horizontes que nunca lhe conseguiram dar.

Desde a música ao teatro, desde de concertos a museus, desde livros a cinema, eu protesto e defendo violentamente que deveria ser tudo grátis. Tudo o que possibilita a constante transformação de uma pessoa. Nós, como pessoas, como ser humanos, como habitantes deste mundo, merecemos estar habilitados a conhecer um mundo exterior, a explorar uma nova imagem, a transformar-nos em novos seres sem quaisquer obstáculos.

O desemprego iria crescer, isso é certo e não é correto retirarmos o emprego a ninguém. Mas agora inquiro para o mundo, para um país, para o coordenador de um museu, para o organizador de um concerto, para o escritor de um livro…será que a riqueza, o dinheiro seriam tudo?

A riqueza económica jamais poderia ter tanta importância como a riqueza que uma pessoa poderia adquirir apenas por visitar um novo lugar. Não acham lindo observámos uma pessoa a admirar uma música, uma dança, uma cidade, um cheiro, um sabor, uma pintura…a criação de uma pessoa? Mas a nossa sociedade, o nosso mundo, restringia-nos de sermos quem ainda ninguém conheceu, de nos descobrirmos.

Seria mesmo a riqueza material mais importante que a riqueza que uma sociedade poderia ter em si?