NATURALISMO

Polícia de SP procura bandido que estuprou dentista após marcar consulta

SÃO PAULO - A polícia de São Paulo está à procura de um homem acusado de estuprar uma dentista dentro de uma clínica na zona leste da capital, depois de ter marcado consulta por telefone. Segundo a secretaria de Segurança, ele aparenta ter entre 35 e 45 anos de idade e foi quem assaltou a clínica odontológica na Rua Jarinu, no bairro do Tatuapé, e estuprou a dentista por volta das 15h da última quinta-feira, além de molestar a recepcionista. De acordo com testemunhas, dias antes de ter cometido os crimes, ele havia marcado consulta com a dentista. O acusado, que estava com uma arma de fogo, esperou uma paciente sair da sala de atendimento e obrigou ela, além da recepcionista, de 36 anos, e a dentista, de 37 anos, a deitarem no chão. Depois, o acusado mandou a dentista ir até a sala de esterilização, onde a estuprou. Em uma outra sala, ele tirou a calça da recepcionista e passou a mão nas parte íntimas dela. O bandido trancou a recepcionista e a dentista no banheiro e obrigou a paciente a abrir a porta para ele. O acusado fugiu levando R$ 790, documentos, dois celulares e um notebook. As vítimas foram encaminhadas para o Hospital Pérola Byington, que é um centro de referência no atendimento a mulheres, para realizar exames. O caso foi registrado como roubo e estupro no 30º Distrito Policial (Tatuapé). Os policiais dessa delegacia apuram se o bandido que estuprou e assaltou este consultório é o mesmo que roubou outros dois na região recentemente.

Mulher tenta abortar, bebê nasce vivo e marido o joga em fossa, diz polícia

Polícia Civil investiga o caso de uma jovem de 21 anos suspeita de tentar abortar no sexto mês de gestação, em Águas Lindas de Goiás, cidade goiana do Entorno de Brasília. Após o bebê nascer, o marido dela, de 48 anos, teria colocado o recém-nascido com vida dentro de um saco plástico e o jogado na fossa da residência. O caso veio à tona porque a grávida contou para mãe o que tinha feito e ela chamou a polícia. A avó do bebê o tirou da fossa, mas ele já estava morto. Segundo os policiais, a jovem alegou que tentou abortar por pressão do marido. O pai da criança está preso. A mulher foi hospitalizada em Ceilândia (DF), mas já recebeu alta e também foi detida. Já o corpo do bebê foi levado para o Instituto Médico Legal de Anápolis. De acordo com a Polícia Civil, o casal deve responder por infanticídio, que é o assassinato de recém-nascidos.


COMENTÁRIO

Muitas vezes, um distúrbio mental é o que causa as situações mais absurdas, podem ser causados por doenças ou mesmo pelo o efeito de drogas. Seja qual for o motivo, faz com que as pessoas voltem ao Estado de Natureza, o mesmo proposto pelos contratualistas, ondem as ações são puramente instintivas para saciar as necessidades mais primitivas do homem, sem haver qualquer tipo de receio ou preocupação.. Já que em um Estado Natural não há punição por fazer o que seus instintos lhes dizem.


Ambas notícias retratam o naturalismo, onde mostra- se a atividade do ser humano, seja ela positiva ou negativa, no qual ele se comporta de uma maneira natural porém grotesca no ambiente social.