Basquete e a tecnologia.

22E

Surgimento do basquete e surgimento do basquete no Brasil.

O esporte basquetebol foi inventado no ano de 1891 pelo professor de Educação Física James Naismith. Um ano depois ele inventou as treze regras para jogar o basquetebol. Naismith nasceu no Canadá e formou-se em Educação Física em 1910, 19 anos depois de ter inventado o esporte. Por volta de 1894, Augusto Shaw trouxe o basquete para o Brasil. Logo o basquete foi aprovado pelas mulheres, o que atrapalhou na propagação do esporte para os homens, devido o machismo da época. Augusto Shaw foi convencendo seus alunos de que o basquete não era um jogo de mulheres e quebrada a resistência, ele conseguiu montar a primeira equipe do Mackenzie College, em 1896.
História do Basquete | Motivação

Mais sobre o basquete.

Quem organiza o Campeonato Mundial de Basquetebol é a Federação Internacional de Basquete (FIBA). A mesma é responsável pela fiscalização da transferência de atletas entre países. No Brasil, como o esporte ainda está em fase de desenvolvimento, muitos jogadores são levados para jogar no exterior, principalmente na NBA (National Basketball Association), como o Nenê, Tiago Splitter e Anderson Varejão. A NBA é a principal liga de basquetebol profissional da América do Norte. A Liga Norte Americana de Basquete Profissional tem suas próprias regras e reconhecida como a entidade máxima e organizadora do basquetebol nos Estados Unidos. É também considerada a principal liga de basquete do mundo. O campeonato é transmitido para 42 países e atrai grandes jogadores de diversas nações.

Introdução à tecnologia.

  • O primeiro Campeonato Mundial de Basquetebol Masculino Adulto foi efetivado na Argentina, em 1950, contando com a participação de 10 países: Egito, Estados Unidos, Argentina, Brasil, Chile, Equador, Peru, Espanha, França e Iugoslávia. Já o primeiro Campeonato Mundial de basquetebol feminino foi efetivado em Santiago no Chile, em 1953, com a participação de 10 países: Estados Unidos, México, Cuba, Brasil, Chile, Paraguai, Argentina, Peru, França e Suíça.
  • Porém, muito tempo já se passou e o esporte está mudado. Hoje, conta com a ajuda da tecnologia para a melhoria do tal.
A tecnologia dentro do esporte.

No basquete, essa tecnologia eletrônica moderna é bem aproveitada. Novos incrementos permitem aos atletas experimentar simulações virtualmente, o que pode, até mesmo, melhorar seu desempenho.


A tecnologia da informação (TICs)

  • O que é: A tecnologia de informação, a TCIS, é um conjunto de recursos tecnológicos que tem como objetivo progressos. Esses elementos tecnológicos são utilizados no comércio, na educação, na indústria e também dentro dos esportes.


  • No basquete, podemos destacar que no ano de 2009 foi lançado um aparelho que ajuda o árbrito, o "Digital Scoresheet". O aparelho fica com os árbritos da mesa e quando ocorre um lance difícil, duvidoso os ábritos recorrem ao aparelho para rever o lance.
  • A tecnologia de informação pode não só melhorar o placar em si, como pode ajudar o atleta a melhorar a sua performance, como é o caso dos atuais tênis usados pelos corredores profissionais.
Tecnologia nos esportes

TICs na Educação Física

Lidando com o fato de que a mídia está por toda a parte, cabe ao educando que use-a a seu favor e a favor da educação. No contexto da educação física, as TICs podem ser definidas como importante recurso para a preparação de diversas ações pedagógicas, apontando a educação para a mídia.

É válido lembrar, que o termo TICs é um objeto de estudo há pouco tempo, como consequência há desconhecimento de profissionais da área da educação quanto à definição do termo e prática.

Estudo do Basquetebol pelos alunos.

O trabalho prático proposto pela professora Angélica trata-se do desempenho do atleta dentro do basquete. Primeiramente, 3 alunos do grupo tiveram que colocar em prática suas habilidades, arremessando 10 vezes na cesta da distância do lance livre. Posteriormente, com o amparo da tecnologia, o grupo fez uma série de pesquisas sobre o esporte e descobriu meios e técnicas para se obter melhor desempenho e melhores resultados.

Na etapa seguinte, com os conhecimentos obtidos, os mesmos 3 alunos repetiram a série de arremessos da marca do lance livre.

  • Chamamos a primeira tentativa de acertos na cesta de: primeira análise e a segunda tentativa, após certos conhecimentos sobre o basquete, de: segunda análise.

Vídeo dos arremessos

http://www.e-maristao.org.br/20135069/video:103/Trabalho-de-Educação-Física---Arremessos


Alunos que arremessaram:

  1. Daniela Oliveira (10)
  2. Guilherme Jardim (15)
  3. Matheus Antonialli (35)


Primeira análise

Segunda análise

Conclusão



Os três alunos nunca praticaram basquete com frequência. Podemos observar que, na primeira análise obtivemos melhores resultados. O que nos faz pensar que as técnicas envolvendo tecnologia, ou não, são válidas somente para quem tem o treinamento contínuo. Elas ajudam os jogadores, iniciantes, a possuírem conhecimento dos movimentos, porém, é mais fácil para quem possui o domínio sobre a bola.

Sobre os conhecimentos e posicionamentos básicos de como lançar a bola na cesta, na segunda análise não observamos melhora alguma, já que os alunos só tinham conhecimento teórico de como se arremessar a bola, deixando falhas (tanto na primeira análise, quanto na segunda) na parte prática, como o posicionamento das mãos e dos joelhos.

O grupo chegou à conclusão que a falha na segunda análise se deu pelo fato de que o grupo obteve o conhecimento de que precisa equilibrar-se para ter um bom resultado no lance. E para isso é preciso colocar o peso do corpo sobre as duas pernas. Assim, os 3 alunos concentraram-se em fazer força nas pernas e esqueceram-se da concentração no restante do corpo, forçando muito os braços, ou ficando tortos em direção à cesta. Se os alunos Daniela, Guilherme e Matheus prosseguissem com treinos contínuos de basquete, com o conhecimento adquirido, com certeza haveria uma melhora significativa na segunda análise.



Nossa Equipe:

  • Maristão 22E


Alunos:

Carolina Barcelos (8);

Daniela Oliveira (10);

Guilherme Jardim (15);

Isabel Carvalho (18);

Matheus Antonialli (35);

Vanessa Medeiros (45).