Direitos Universais Humanos

Art.3

Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.



Os Direitos Humanos são direitos fundamentais do ser humano. Sem eles, o ser humano não consegue participar plenamente da vida em sociedade.

Para Bobbio (1992), a Declaração Universal dos Direitos Humanos foi uma inspiração e orientação para o crescimento da sociedade internacional, com o principal objetivo de torna-la num Estado, e fazer também com que os seres humanos fossem iguais e livres. E pela primeira vez, princípios fundamentais sistemáticos da conduta humana foram livremente aceitos pela maioria dos habitantes do planeta.

Os Direitos humanos são os direitos e liberdades básicos de todas as pessoas. A idéia que normalmente nos é passada sobre Direitos Humanos, é o livre direito de pensar e expressar nossos pensamentos, e a igualdade perante a lei. Mas comprovadamente na prática constatamos que somente somo livres no que tange aos pensamentos, ou seja, podemos pensar livremente, mas expressar nossos pensamentos através de atos, atitudes, já não é assim tão possível. Não possuímos a liberdade plena no que tange a atitudes, ações e manifestações


Big image
Os Direitos Humanos Universais foram criados em 1948 pela ONU (Organização Das Nações Unidas). Temos, portanto, 65 anos de declaração dos direitos humanos e muitos problemas ainda persistem.


Mesmo com sua criação, os direitos humanos continuam sendo violados. Não só no Brasil, mas no mundo. Crianças morrem sendo soldados em guerras, pessoas são traficadas, escravizadas, pessoas civis não combatentes morrem nas mãos dos insurgentes, abuso infantil, trabalho infantil, violência urbana, etc. Num mundo de desigualdade, toda violação de direitos é violência.


Recentemente, os direitos humanos impostos pelo Art.3 tem sido violados no Brasil principalmente pela polícia. O movimento que levou mais de 50mil pessoas para as ruas nos últimos dias levou a polícia a agressão para com os manifestantes. Este fato viola o direito a segurança pessoal e fragiliza um manifesta pacífico da juventude brasileira.

Soluções possíveis para a violação dos direitos humanos :

  • Trafico de pessoas: Conhecer o problema, Sensibilização e Prevenção; Educação e formação; proteção e assistência; Investigação criminal e penalização; cooperação.
  • Trabalho escravo: expropriação de todas as propriedades onde forem encontrados trabalhadores reduzidos à condição análoga à de escravo; É vedado financiamento público a pessoas físicas e jurídicas que são condenadas administrativamente por exploração de trabalho escravo; não adquirir qualquer produto cuja produção incorpore trabalho de escravos em sua cadeia produtiva.


  • Abuso infantil: conscientização e educação dos pais e responsáveis pelo menor quanto à qualidade física e psicológica da criança e do adolescente; prevenir quanto às possibilidades de assédio pelas pessoas mais próximas;


  • Trabalho infantil: dar educação e escolas de qualidade para a criança e o adolescente; esporte, alimentação e lazer; punir severamente a quem contrate crianças para qualquer tipo de trabalho; criação de postos de trabalho para os pais


De acordo com Silvia Maria Solci , justiça para com o direito à vida não é apenas uma legalidade. A justiça deve ser desejada pelos homens, que a instauram em determinado momento histórico na busca da igualdade de direitos, apesar das desigualdades de fato. A luta pelo direito surge quando este se faz necessário, quando ele é desejado por aqueles que sofrem a sua privação, defendendo-o não só para si mas para todos.

Os direitos humanos foram criados e devem ser cumpridos para que o mundo e as pessoas que nele habitam sejam melhores.


Texto Base

Campanha Pelo Respeito Aos Mendicantes

Justificativa
Esta campanha tem como objetivo conscientizar a população sobre os maus tratos que ocorrem na sociedade brasileira com mendicantes. Apesar de termos garantido por Lei o direito há não sermos submetidos a situações degradantes ou desumanas, é comum vermos casos em que os moradores de ruas são tratados de tal forma pela população e em algumas situações pelas autoridades.

Objetivo Geral

Promover um debate entre a população sobre a maneira em que o marador de rua é tratado pela sociedade. Temos como objetivo que o mendicante tenha um tratamento mais justo e igualitário dentro da sociedade e seja respeitado pela população e autoridades como um cidadão com direitos e deveres.

Objetivos Específicos

1- Propiciar uma reflexão entre a população e a sociedade sobre como devemos tratar o morador de rua e como podemos amenizar a situação dos memos.
2- Conscientizar que o morador de rua é um cidadão e merece um tratamento justo e igualitário
3- Refletir sobre meios em que podemos reduzir a pobreza extrema e sobre como podemos auxiliar os mendicantes a ter um vida mais justas>

Estratégias


1- Criar campanhas publicitárias a fim de tentarmos o ingresso dos mendicantes na forma de um trabalho remunerado.
2- Estabelecer centros de apoio ao morador que distribua alimentação e agasalhos.

Big image

Alunos:

Barbara Callaça - n°3

Beatriz Finocketi - n°4

Grabriel Raposo - n°12

Mateus Silva - n°31

Mikael Teixeira - n°32

Luca Franca - n°45

Big image