Superbactérias

O problema dos antibióticos

A maioria das superbactérias surgiram após o uso incorreto de antibióticos. No começo as superbactérias eram apenas bactérias normais contudo, com o passar do tempo, elas foram se tornando resistentes aos antibióticos pois várias pessoas paravam de utiliza-los antes do tratamento prescrito pelo médico e assim, surgiram as superbactérias.

As superbactérias costumam infectar uma pessoa geralmente em hospitais, mais especificamente em centros cirúrgicos. Os pacientes ao entrarem nos centros estão debilitados pela doença que ele está ou por outros fatores, assim sendo mais vulnerável. Contudo, a pessoa só é infectada se não houver sido feito o procedimento higiênico adequado ao local. Se o procedimento não for correto as superbactérias entraram no organismo do paciente e terão contato com as secreções, começando assim o alastramento das superbactérias.

Klebsiella pneumoniae Carbapenemase (KPC)

A bactéria KPC, a“superbactéria”, foi vista pela primeira vez nos EUA, depois de ter sofrido uma mutação genética, gerando uma resistência a vários antibióticos e a grande capacidade de tornar resistentes outras bactérias. Ela pode ser encontrada na água, em fezes, no solo, em vegetais, cereais e frutas. A KPC pode causar pneumonia, infecções sanguíneas, no trato urinário, em feridas cirúrgicas, enfermidades que podem evoluir para um quadro de infecção generalizada. Crianças, idosos, pessoas debilitadas, com doenças crônicas e imunidade baixa ou submetidas a longos períodos de internação hospitalar (dentro ou fora da UTI) correm risco maior de contrair esse tipo de infecção. A resistência aos antibióticos não é um fenômeno novo nem específico da espécie Klebsiella. Porém, esses germes multirresistentes não conseguem propagar-se fora do ambiente hospitalar.


Gerente da Apevisa esclarece dúvidas sobre a bactéria KPC