AIESEC EM BRASÍLIA

Let's make history

AGARRA AÊ, @BS

  • Package postulação EBzão, OC REPLAN e OC PSEL: 15/06
  • Chat com VPs: 16/06
  • Eleição EBzão 2016.2: 24/06

EBzão Piloto Time

Na última edição da nossa news tivemos participação dos membros incríveis que entraram neste semestre na organização! Desta vez, um representante de cada área do EBzão vai compartilhar conosco sobre como tem sido a experiência em um cargo de liderança na @BS!


Caio Horita (TM): BAH. O que eu posso dizer...

Quando eu era membro novo na área de GiPo, eu adorava fazer as jobs de Delivery, até mandar e-mail e receber solicitação de amizade de indianos hahaha, e aquele match mais ainda! Uma EP minha me agradece desde o momento que ela chegou pra mim em Delivery e ela foi efetivada numa grande empresa no México esses dias... Acho que a coisa que eu mais gosto é perceber o impacto que eu fiz na vida dela.
E isso é exatamente o que eu mais vejo como Manager! Pra mim, por mais que eu não esteja assinando contrato, eu consigo ver claramente o meu impacto em GiPo, só conversando com os membros e com os PMs da área. Eu fiz, junto com a Ju e a Fê, inúmeras OPS, e comecei a praticar a falar em público, e, depois da terceira, já estava falando tranquilamente para um maior número de pessoas e sobre a cultura organizacional da AIESEC, me comunicando muito melhor. Além disso, passamos por vários desafios durante gestão, e à cada consultoria, vi que eu estava pensando mais criticamente e mais focado na solução destes e com foco nos resultados no time EBzinho Simbas, do qual eu sempre me senti parte, mas também com os Carcajus em mente, sobre os quais eu sempre me senti responsável, e que eu sei que, além de ter tentado inspirar alguns membros novos, fui igualmente inspirado por eles! Além disso, todos os processos de postulação e toda essa experiência maravilhosa como Manager em GiPo e com o time de TM Pyxis me inspirou muito e me trouxe um enooooorme autoconhecimento, sobre mim e sobre os meus objetivos na organização, e me motivou a agarrar a oportunidade de ser Staff do YouthSpeak Fórum e me motiva todo dia a fazer da minha XP na @BS a melhor possível!


Pedro Alencar (FIN): Desde de que entrei no BO, achei que ia me desenvolver pouco como um líder por não ter um time, mas isso não poderia estar mais distante da realidade. Estou cada vez mais orientado à soluções para entregar um trabalho de qualidade e inovador. Quando você é manager, você está lá para dar suporte para as áreas de FO terem seus resultados potencializados. Outra coisa que você acaba desenvolvendo muito é o seu auto conhecimento. Hoje em dia eu me conheço muito melhor do que antes. Sei onde eu devo focar minha atenção, quais os meus limites e, com uma boa frequência, como superá-los. Ser manager é uma oportunidade maravilhosa, na qual eu conheci ainda mais a AIESEC e seus processos e consegui ter uma visão geral de tudo que acontece no nosso escritório e na @BAZI. Eu recomendo, sem dúvida alguma, a experiência de manager para todos que queiram conhecer mais a AIESEC e ajudar o crescimento das áreas de forma criativa.


Tatyane Ribeiro (MKT): Como a experiência de manager me desenvolveu como líder?! Com certeza me fez ter uma visão MUITO mais ampla sobre o funcionamento de uma organização e de um time, pois, pude entender o quanto o planejamento e estratégias de cada mínimo processo é essencial para os resultados operacionais. Ter sido manager de oGCDP e ver os resultados atingidos é uma sensação de satisfação enorme, assim como a Hannah Montana, eu posso dizer que tive o melhor de dois mundos. Além da experiência em um time/família MA RA VI LHOOOO SO como é o Lovebugs! :heart:


Dara de Souza (iGCDP): VALHA, meu desenvolvimento foi gigantesco, consigo nem mensurar direito kekeke. Me lembro quando estava na época da postulação e eu fugi de todo cargo que envolvia liderar um time porque eu jurava que não ia conseguir e que seria a coisa mais impossível para a Dara fazer. Mas daí veio aquela água geladinha na cabeça me "dizendo" que eu iria sem PM iGCDP, o que significa ter um time. Bem, no começo foi meio estranho porque tem alguns seres humaninhos que precisam de você ali pra se situarem e darem conta do recado, mas que logo viram grandes amigos e parceiros. Eu preferi construir uma relação horizontal, o que me acrescentou MUITO, eu mais aprendi do que qualquer outra coisa. Logo que eu tive meu time completo, nasceu as espiãNs, e nasceu de uma forma super natural e espontânea, eu não precisei forçar nada. E isso me mostrou que sim, eu era capaz de juntar pessoas diferentes e fazer aquilo dá certo. Obviamente que isso não vem do além (temos todo um suporte: planejamento, JD Clara, metas e consultorias), mas sim, a força de vontade e o senso de responsabilidade contam muito, portanto, vista a camisa do seu esforço e levante essa bandeira como a sua maior. Se você assim como eu estava há uns meses atrás com medo, vontade de desistir, achando que você não é capaz, postula! A melhor maneira de encarar os seus medos é enfrentar cada um deles! Então, postule. A Dara de antes não entendia muito ela mesma, não conseguia perceber o quão metódica ela é, mas ao mesmo tempo ela também não sabia o quão empática ela poderia jamais se tornar. Ser líder além de muitas outras coisas é saber quem você é, e com certeza esse foi um grande presente da minha gestão, me conhecer e me conectar com mais pessoas.


Mariana Cunha (oGCDP): Eu não considerava me postular pra EBzão no ano passado, eu tinha entrado como membro há pouco tempo e não me achava preparada para assumir um cargo de maior responsabilidade, até que algumas pessoas do CL vieram falar comigo e me aconselharam a postular. Conversei com algumas pessoas mais próximas também e percebi que eu tinha algumas ideias que poderiam ser úteis para a organização... Então eu pensei: “Por que não, né? Vou tentar”. Tentei, fui eleita e não me arrependo! Foi uma experiência bem desafiadora, mas muito, muito gratificante! Aprendi a ser mais paciente, a ser mais firme com as minhas decisões, mas também a escutar mais a opinião dos outros. Tive que lidar com situações em que as soluções só dependiam de mim. Tive liberdade e apoio para analisar, inovar e traçar novas estratégias. Me desenvolvi e evolui como pessoa e também profissionalmente, tenho certeza de que eu cresci e aprendi nesse semestre milhões de vezes mais do que em um estágio ou trabalho normal. Tive a sorte de ter um time maravilhoso (UnBora <3) e com certeza eles fizeram a minha experiência ser muito melhor do que eu imaginava!

Gente, postulem! É uma jornada de autoconhecimento, crescimento e desafio única!


Matheus Fagundes (iGIP): A experiência como PM foi/tá sendo incrível! Acredito que tá sendo a minha melhor experiência dentro da AIESEC até agora. Cresci muito como pessoa, aprendi demais e pude compartilhar o pouco que sei com meus membros. A experiência é muito intensa e me fez refletir muito sobre meus valores, minhas fortalezas e fraquezas. Me fez ter mais clareza do meu propósito de vida, fortalecendo meu Selfaware. Trabalhar em ICX me fez ter contato direto com culturas bem diferentes da minha e me fez as respeitar, me tornando um pouco mais Cidadão do Mundo. Lidar com empresas é bem diferente das experiências que eu tive antes, e me exigiu ser bem orientado a soluções para quebrar excuses e, junto com o time, chegarmos aos resultados esperados pela área. Mas o mais importante para mim foi estar em contato com pessoas, sendo referência para elas. Meus membros (filhos) me ensinaram a ser mais empático e, por eles, acabei me aprofundando no estudo de pessoas para criar uma conexão com cada um. Pude entender um pouco sobre trabalhar com diferentes perfis e como empoderar cada um. Ao mesmo tempo que eu me desenvolvi como líder, tive que ter um cuidado dobrado para desenvolver cada membro meu como líder. Nossos momentos juntos são incríveis! Não reclamo nem um pouco de nossas reuniões no sábado às 8h hahahaha. Pra quem pensa em ser PM só digo uma coisa: se joga na experiência. Hoje me sinto parte da vida de cada membro meu e eles definitivamente são parte da minha :heart: BORA AGNI :fire:


Fernanda Sena (oGIP): Minha experiência como PM de oGIP foi intensa, e completamente diferente do que eu achei que seria. Como líder de um time, tive que aprender a lidar com pessoas diferentes, o que me ajudou com o auto conhecimento e a ser mais solution oriented. Mas a sensação de ter um time é indescritível. Ser PM é um exercício de paciência, de conhecer seus limites e respeitar o dos outros, lidar com sucessos e fracassos (seus e de outras pessoas) e ter a chance de ser um líder e ativar liderança.

IXP? KEROLLAYNE TÁ TENDO!

A Kerol é do time de Finanças na @BS e está realizando a primeira IXP dela! Ela vem nos atualizando pelo Telegram, mas pedimos para que ela desse um pequeno depoimento sobre como está sendo até agora!


"Estou em Trujillo ao norte do Peru para realizar o projeto S-management, que tem o objetivo de aplicar soluções administrativas/financeiras a ONG’s. Meu projeto está rodando na ONG, Missión de Vida que foi criada por uma mãe que tem um filho especial. Ela era desemparada pelo setor educacional do município, o qual recusou a matricular a criança, assim fundou a ONG visando ajudar demais crianças que passavam pelo mesmo problema, além de serem de famílias bem humildes.

É muito triste ver a realidade que essas crianças vivem, mas ao mesmo tempo fico feliz em ver como eles chegam a escola cheios de vontade abraçando a todos, aprendendo um pouco mais, e superando seus limites a cada dia. Estou conhecendo o funcionamento da ONG, a realidade do município e pensando junto com os outros trainees: Rachel (americana) e Daniel (colombiano) em como ajudá-los.. Além disso vamos a escola todas as manhãs e ajudamos as senhoras com atividades pedagógicas, dando atenção a cada criança... as principais deficiências são: retardo mental, surdez, mudez e síndrome de down. Minha maior motivação é tentar conseguir deixar a Missión de Vida melhor do que encontrei.
E minha experiência como um todo está sendo incrível! A AIESEC daqui é bem prestativa e está sempre à disposição dos trainees, minha família é muito atenciosa querem me mostrar a cidade inteira (acho que já conheci e experimentei quase tudo aqui em Trujillo em apenas 4 dias). Não tenho dúvidas que voltarei outra pessoa para o Brasil, pois estou vivendo uma realidade completamente diferente e enriquecera."


Kerol, aposto que você já está fazendo a diferença! <3

Big image

RESULTADOS

Big image

Mensagem do LCP


"Mesmo não aparentando tanto, eu sempre tenho aquele medo/receio ao enfrentar novos cargos e novos desafios dentro da AIESEC, por vários motivos. Por achar que não estou pronto, por achar que tem outros melhores para assumir o papel, por achar que vai ser muito puxado, por achar que já foi o momento... Porém, há algo que me motiva muito dentro dessa organização que sempre me deixa muito confortável e confiante de todos os next steps que eu escolho lutar: o propósito.
A AIESEC é sobre liderança. Por meio de intercâmbios queremos atingir TODOS os jovens do mundo (essa é a nossa MAIOR META DA ORGANIZAÇÃO) para atingir a paz mundial. E quando eu me pego com medo de algum desafio que eu preciso encarar aqui dentro, eu penso que eu tenho um medo maior ainda: “Será que meus netos vão fazer parte da AIESEC ou vão só ouvir falar da falecida organização? ”. Se eles fizeram parte, quer dizer que eu não fiz o máximo que eu pude para que a AIESEC cumprisse o seu papel no mundo de atingir todos os jovens e alcançar a paz mundial. Se eles só escutaram a história, quer dizer que nos 40 anos prévios a eles nós fizemos nosso papel como AIESECos e deixamos um mundo melhor para as nossas gerações futuras.

Mateus Porto - Presidente."