GROTESCO / BELO

Relação e diferenças

O que é o "Grotesco"

Há diversas interpretações para o que vem a ser grotesco. No nosso dia-a-dia, essa palavra está relacionada à eventos catastróficos (um grotesco assassinato de 12 pessoas), algo de se envergonhar ("Nada mais grotesco do que dois americanos se congratulando por ser heterossexuais. Isto só acontece nos Estados Unidos. Nunca vi dois italianos se congratulando por gostar de mulheres. Para ele, isso é normal."). Na pintura, o estilo grotesco é caracterizado por figuras esguias e distorcidas sobre uma decoração geométrica e naturalista, num fundo geralmente branco. Ou seja, depende do referencial.


O QUE É O "BELO"

"Belo" é diferente de "Beleza". Você pode não achar uma pintura bonita, mas deve compreender que já algo belo por trás dela. O conceito de beleza é algo muito pessoal. Dois indivíduos não acham as mesmas coisas "bonitas". Já o belo é algo quase que inexplicável. Se cativa alguém, então é belo. Se agrada alguém, é belo. Uma pessoa pode achar algo bonito e belo, mas também feio e belo, pois, por mais que ela não se sinta atraída por aquilo, existe alguém que aprecie, tornando aquilo belo.

Segundo Kant e David Hume "a beleza está nos olhos de quem a contempla". Para avaliarmos algo, devemos abandonar todos os fatores pessoais que nos possam influenciar para podermos concluir se o objeto em vista é dotado de beleza ou não. O problema é que isso é impossível. Não tem como alguém ser totalmente imparcial. Portanto, a beleza é algo de cada um, e o belo é algo que depende apenas que alguém aprecie.

Tomando como exemplo a sociedade brasileira: uma mulher bonita tem bunda grande e peitos grandes, e esses fatores para muitos é de grande valor. Mas e para um cego? Desprovido do poder de apreciar visualmente o corpo alheio, ele tende a priorizar a personalidade do próximo. Para ele, alguém bonito pode ser alguém carismático, educado, engraçado, não fazendo diferença o corpo.

"Normal" ou não?

Pessoas mais "tradicionais", com concepções antiquadas, podem considerar a homossexualidade algo grotesco, pois vai de encontro com o que elas consideram normal. O normal, também, varia de cultura para cultura, de sociedade para sociedade, e leva em consideração todo um processo histórico. O lado coletivo: a cultura oriental (já abrangindo muitos aspectos) aceita coisas que a cultura ocidental não. O lado individual: uma comunidade pode abrigar indivíduos completamente diferentes, quanto a religião e outras crenças, estilo de vida, opiniões políticas, opção sexual.