Anatomia do Coração

Anatomia externa e interna do coração humano

Anatomia externa do coração com os vasos sanguíneos

A circulação sanguínea ocorre quando o sangue é conduzido para fora do coração, pelas artérias, elas se ramificam e tornam-se progressivamente menores terminando em pequenos vasos conhecidos como arteríolas. Por meio destes vasos, o sangue consegue realizar as funções de nutrição e absorção passando por uma rede de canais microscópicos, chamados capilares, que permitem que o sangue troque substâncias com os tecidos. Após a passagem pelos capilares, o sangue é coletado em vênulas, logo depois através das veias alcança de novo o coração.

As artérias coronárias são os vasos que irrigam o miocárdio com sangue rico em oxigênio. Elas derivam de dois pontos da raiz da aorta formando a artéria coronária direita e o tronco da artéria coronária esquerda. Do tronco da coronária esquerda originam-se as artérias descendente anterior, responsável pela irrigação da parte frontal do miocárdio do ventrículo esquerdo. No lado direito, a Coronária direita é responsável pela irrigação do ventrículo direito.

Miocárdio é um conjunto de células musculares, que apresentam uma disposição e estrutura peculiar que constituem a parede do coração. O músculo cardíaco ou miocárdio, assim como qualquer outro músculo, possui a capacidade de se contrair e de relaxar-se, funcionando como uma autentica bomba mecânica, enviando e recebendo sangue com velocidade e força determinada. O miocárdio somente obtém energia do metabolismo aeróbio, ou seja, necessita de oxigênio para poder funcionar. Quando falta oxigênio no músculo cardíaco, ocorre o conhecido infarto do miocárdio, que se traduz numa necrose das células miocárdicas.

Anatomia interna do coração com cavidades e válvulas

O coração é dividido em quatro partes: dois átrios e dois ventrículos. Os átrios são câmaras superiores que recebem o sangue; os ventrículos são câmaras inferiores que bombeiam o sangue para fora do coração. Na face de traz de cada átrio existe uma estrutura enrugada em forma de saco, conhecida como aurícula. O átrio direito é separado do esquerdo por uma fina divisória denominada septo interatrial; o ventrículo direito é separado do esquerdo pelo septo interventricular.

O átrio direito comunica-se lateralmente com as veias cavas inferiores e superiores. Inferiormente, comunica-se com o ventrículo direito, sendo separado pela válvula tricúspide. Na porção posterior superior do átrio direito está localizado o nodo sino-atrial que é o marca-passo natural, estrutura que rege os batimentos normais do coração.

O átrio esquerdo comunica-se posteriormente com as quatro veias pulmonares e inferiormente com o ventrículo esquerdo, sendo separado pela válvula mitral. A função dos átrios é receber o sangue e conduzí-lo para os ventrículos.

O ventrículo direito se comunica com o átrio direito através da válvula tricúspide e com o tronco da artéria pulmonar através da válvula pulmonar. A parede muscular no ventrículo direito (VD) é mais espessa do que a parede dos átrios. Isso se deve ao esforço que o ventrículo realiza durante a contração. A cada contração o VD tem que vencer a resistência apresentada pela artéria pulmonar; essa resistência é traduzida por uma pressão. Uma camada muscular chamada de septo interventricular separa os dois ventrículos.
O ventrículo esquerdo (VE) se comunica com o átrio esquerdo através da válvula mitral e com a aorta através da válvula aórtica. A parede do VE é duas vezes mais espessa que a parede do VD porque a pressão de resistência encontrada pelo VE na aorta é muito mais alta. O trabalho ventricular é diferente em cada lado. No lado direito, o VD irriga os pulmões e no lado esquerdo, o VE irriga todos os órgãos.
De dentro dos ventrículos surgem as fibras tendinosas onde se inserem as cordoalhas das válvulas de entrada, do lado direito a válvula tricúspide e do lado esquerdo a válvula mitral. Durante a contração ventricular estas fibras se distendem e dão a sustentação necessária para segurar os folhetos das válvulas, evitando o retorno do sangue para os átrios.

Big image